Moradores de prédios evacuados em Londres começam a voltar para casa

Londres, 24 Jun 2017 (AFP) - Os moradores de uma das cinco torres evacuadas na sexta-feira em Londres pelo temor de um risco de incêndio foram autorizados a retornar para casa, informaram as autoridades de Camden, um dos municípios da capital britânica.

"A brigada de bombeiros de Londres nos advertiu que os residentes da Torre Blashford não tinham necessidade de abandonar suas casas", afirmou Georgia Gould, diretora da administração de Camden em um comunicado.

Na sexta-feira, as autoridades de Camden ordenaram a saída dos moradores, em plena noite e sem aviso prévio, de cinco torres de um complexo conhecido como Chalcots Estate, com 800 apartamentos, depois que consideraram que os testes de segurança contra incêndios, em particular do revestimento externo, não foram conclusivos.

Na Torre Blashford, 83 pessoas se recusaram a abandonar suas casas, segundo Georgia Gould. Ela explicou que o prédio é um pouco diferente do restante do complexou e, por este motivo, os moradores foram autorizados a retornar.

"É um edifício menor que os demais, as portas corta-fogo não são as mesmas e foram realizadas obras para liberar os corredores e melhorar a segurança contra incêndios", disse.

"Os bombeiros garantiram que o edifício é seguro para os moradores", completou.

A ordem de evacuação de sexta-feira tem como objetivo possibilitar obras urgentes nos edifícios afetados.

O material do revestimento das torres envolvidas é o mesmo da Torre Grenfell, onde um grande incêndio em 13 de junho deixou pelo menos 79 mortos.

As autoridades acreditam que este revestimento, composto de polietileno entre duas camadas de alumínio, foi provavelmente a causa da rápida propagação das chamas em toda a torre.

Em Camden, os moradores de Chalcots Estate passaram a noite nas casas de parentes e amigos, em centros municipais ou quartos alugados pela administração local.

A situação deve prosseguir por entre duas e quatro semanas, durante o período de obras de reforma, segundo as autoridades.

Os moradores têm permissão neste sábado para pegar alguns objetos, mas sob a vigilância dos bombeiros.

Muitas pessoas afetadas não esconderam a irritação com a operação, durante a noite e sem aviso prévio.

"Não conseguimos pegar nossas coisas, não sabíamos para onde ir. Espero que possamos voltar logo", disse Zega Ghebre, de 42 anos e mãe de três filhos.

"Agora nos propõem ficar em um hotel do bairro de Wembley. Espero que não demore muito, pois não sei como faremos", completou, diante do Swiss Cottage Leisure Center, um dos centros habilitados para os moradores afetados.

Peter Bertram, um veterano do exército britânico, também foi obrigado a abandonar seu apartamento.

"Foi uma corrida, não estava a par de nada".

A primeira-ministra Theresa May afirmou que o governo "vai trabalhar com os serviços de emergência e as autoridades para apoiá-las e proteger a população".

O incêndio na Torre Grenfell teve início em uma geladeira, informou na sexta-feira Fiona McCormack, uma das comandantes da polícia científica de Londres.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos