Arábia Saudita e aliados se reúnem para examinar crise com o Qatar

No Cairo

  • Alessandro Bianchi/Reuters

    Ministro das Relações Exteriores do Catar, Mohamed ben Abderrahman al-Thani

    Ministro das Relações Exteriores do Catar, Mohamed ben Abderrahman al-Thani

A Arábia Saudita e seus aliados, que romperam relações com o Qatar, se reúnem nesta quarta-feira (5) no Cairo para decidir os próximos passos em relação a Doha, que considera "irreais" os pedidos do grupo.

A reunião, que começará às 11h GMT (8h de Brasília), terá as presenças dos chefes da diplomacia da Arábia Saudita, dos Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito. O encontro acontecerá após o fim do ultimato estabelecido pelos quatro países ao Qatar para que aceitasse suas exigências.

Riad e seus aliados romperam no dia 5 de junho todas as relações diplomáticas com o pequeno emirado, rico em gás, que acusam de apoiar o "terrorismo" e de manter relações muito próximas com o Irã, grande rival da Arábia Saudita no Oriente Médio.

Os países também adotaram sanções econômicas contra o Qatar, incluindo o fechamento de sua única fronteira terrestre.

Para acabar com o conflito, os quatro aliados árabes enviaram uma lista de 13 pedidos ao Qatar, que deveriam ser atendidas até 2 de julho, prazo que foi prorrogado por 48 horas.

Entre as várias medidas, eles pedem o fechamento de uma base militar turca e do canal de televisão Al-Jazeera, que consideram muito agressivo, assim como um afastamento de Doha do Irã.

O Qatar, que nega as acusações de apoio ao terrorismo, respondeu na segunda-feira (3) às exigências em uma mensagem enviada ao Kuwait, país que atua como mediador na crise. Riad e seus aliados confirmaram que receberam a resposta, mas o conteúdo não foi divulgado.

As palavras do ministro das Relações Exteriores do Qatar, xeque Mohammed bin Abdulrahman al-Thani, não deixam dúvidas, no entanto, sobre a resposta.

"A lista é irrealista e inaplicável", afirmou na terça-feira.

"Não é terrorismo. Estamos falando, simplesmente, de acabar com a liberdade de expressão", completou.

Doha considera que os países vizinhos tentam usurpar sua soberania e interferir em sua política estrangeira.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos