Tillerson espera avançar em mediação da crise no Golfo

Doha, 11 Jul 2017 (AFP) - O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, continuava nesta terça-feira em Doha a mediar a crise do Golfo, após ter constatado a complexidade da disputa entre o Catar e seus adversários árabes sobre o apoio a grupos extremistas e as ligações com o Irã.

"Espero que possamos fazer progressos" em vista de uma saída da crise, declarou Tillerson após uma reunião com o emir do Catar, xeque Tamim bin Hamad Al-Thani.

"Acredito que o Catar foi muito claro em expor suas posições e acho que é muito razoável", afirmou em Doha, onde chegou a partir do Kuwait, a primeira etapa de sua viagem. Ele ainda visitará a Arábia Saudita.

No entanto, sua comitiva não esconde a escala da crise, a mais grave dentro do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG - Arábia Saudita, Catar, Omã, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Kuwait) desde seu nascimento em 1981.

Líder das ricas monarquias árabes do Golfo, a Arábia Saudita, junto com Bahrein, Emirados Árabes Unidos e seu aliado egípcio, rompeu com o Catar em 5 de junho e impôs sanções econômicas.

Para normalizar a situação com o Catar, que nega qualquer apoio ao "terrorismo", os quatro países entregaram em 22 de junho uma lista com 13 exigências, incluindo o fechamento da televisão Al-Jazeera e de uma base turco, bem como uma revisão dos vínculos com o Irã xiita, principal rival regional sunita da Arábia Saudita.

Doha rejeitou as imposições, considerado que violavam a sua soberania.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos