Americana é acusada de usar bitcoin para financiar o Estado Islâmico

Em Washington

  • Getty Images/iStockphoto/Todor Tsvetkov

Promotores dos Estados Unidos acusaram uma nova-iorquina de usar bitcoin e outras moedas virtuais para enviar fundos ao grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Na quinta-feira, Zoobia Shahnaz, de 27 anos, foi presa em sua casa em Brentwood, Long Island, por enviar mais de 150 mil dólares por meio de contas fantasmas na China, Paquistão e Turquia para beneficiar o EI.

Grande parte do dinheiro é originário de empréstimos bancários e cartões de crédito, anunciou o Departamento de Justiça. Com isso, comprou 62 mil bitcoins e outras criptomoedas, que podem oferecer a quem as usa anonimato em transferências e pagamentos.

Depois de fazer as transferências, Shahnaz tentou viajar para a Síria, reservando um voo para Islamabad, mas incluiu uma escala em Istambul, que é "um ponto de entrada comum para as pessoas que viajam de países ocidentais para se juntar ao EI na Síria", alegaram os promotores.

Shahnaz foi acusada de cinco delitos de fraude bancária e lavagem de dinheiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos