Topo

Gibraltar rejeita pedido dos EUA para reter petroleiro iraniano

18/08/2019 10h56

Gibraltar, 18 Ago 2019 (AFP) - O governo do território britânico de Gibraltar rejeitou, neste domingo (18), um pedido dos Estados Unidos para reter o petroleiro iraniano que se prepara para deixar suas águas territoriais, explicando que as sanções americanas não são aplicáveis na União Europeia (UE).

"Em virtude do Direito Europeu, Gibraltar não pode fornecer a assistência solicitada pelos Estados Unidos", que busca deter o cargueiro pelas sanções americanas contra o Irã, explicaram as autoridades deste território britânico situado no extremo sul da Espanha.

As autoridades de Gibraltar capturaram o cargueiro "Grace 1" em 4 de julho, alegando suspeita de que transportava petróleo para a Síria. Damasco se encontra, atualmente, sob embargo da UE.

Na última quinta-feira, o navio foi autorizado a partir, depois que Teerã garantiu que sua carga de 2,1 milhões de barris de petróleo não será levada para a Síria.

De acordo com o comunicado, porém, os Estados Unidos apresentaram várias demandas para que o petroleiro fosse mantido apresado, com base nas sanções americanas ao Irã.

"O regime de sanções da União Europeia contra o Irã - aplicável em Gibraltar - é muito menos amplo do que o dos Estados Unidos", indicou o comunicado.

A norma europeia "proíbe especificamente aplicar certas leis americanas", como as das sanções ao Irã, acrescentou.

O cargueiro foi rebatizado como "Adrian Darya" para continuar sua viagem e substituiu a bandeira panamenha, com a qual navegava, por uma iraniana, já hasteada em sua embarcação.

pmr/du/zm/tt

Mais Notícias