PUBLICIDADE
Topo

Reino Unido começa a eliminar medidas de quarentena

7.mai.2020 - Vestidas com bandeiras do Reino Unido, mulheres homenageiam profissionais do NHS, sistema público de saúde do país - Ian Forsyth/Getty Images
7.mai.2020 - Vestidas com bandeiras do Reino Unido, mulheres homenageiam profissionais do NHS, sistema público de saúde do país Imagem: Ian Forsyth/Getty Images

03/07/2020 00h53

Londres, 3 Jul 2020 (AFP) - O governo britânico revelou nesta sexta-feira as primeiras isenções às medidas de isolamento aplicadas ao combate da epidemia de coronavírus, que afetam aqueles que chegam da Alemanha, França, Espanha ou Itália, que não precisarão mais ficar em quarentena a partir de 10 de julho.

De acordo com as informações oficiais, essas modificações serão aplicadas apenas àqueles que entrarem na Inglaterra e que as quarentenas permanecerão obrigatórias para quem for para a Escócia, País de Gales ou Irlanda do Norte. As violações serão sancionadas com multas.

O Reino Unido foi um dos países europeus mais afetados pela epidemia da covid-19, com pelo menos 44.000 mortes.

Mas por conta da redução de novos casos, começou a suspender as restrições impostas durante os últimos três meses.

Essas restrições incluíam uma quarentena de cerca de 14 dias para quem chegasse ao Reino Unido, válida também para residentes britânicos.

A decisão irritou as companhias aéreas e levou outros países a optar por restrições semelhantes, aplicando o critério de reciprocidade.

O governo britânico espera que os países da lista de isenções levantem essas medidas.

"Hoje marca uma nova etapa na reabertura prudente de nosso grande país", disse o secretário de Transporte, Grant Shapps, em comunicado.

Grant acrescentou que o governo não hesitará em impor restrições se o número de casos aumentar nos países que agora estão isentos.

Uma lista completa de países com isenções será divulgada nesta sexta-feira, e deve contar com cerca de 75 nações, de acordo com vários meios de comunicação.

O governo do primeiro-ministro Boris Johnson deveria divulgar as isenções esta semana, mas o anúncio foi adiado devido ao atrito com o governo escocês, segundo alguns ministros.

Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte "aplicarão sua própria abordagem às isenções", divulgou o governo britânico nesta sexta-feira.

ar/lc/ob/roc/erl/mls/lca