PUBLICIDADE
Topo

Pequim anuncia sanções contra Pompeo e funcionários da administração Trump

20/01/2021 20h35

Pequim, 20 Jan 2021 (AFP) - A China anunciou nesta quarta-feira (20) sanções contra quase trinta funcionários do governo do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, incluindo o secretário de Estado Mike Pompeo, por violar sua "soberania", informou o ministério das Relações Exteriores.

"A China decidiu sancionar 28 pessoas que violaram gravemente a soberania da China", anunciou o ministério, no mesmo dia em que o democrata Joe Biden tomou posse em Washington.

"Nos últimos anos, políticos anti-chineses nos Estados Unidos, por interesse político egoísta e por causa de seus preconceitos e ódio contra a China (...) planejaram, promoveram e tomaram medidas absurdas", declarou o ministério das Relações Exteriores em um comunicado.

Essas ações representaram "séria interferência nos assuntos internos chineses, sabotaram os interesses da China, ofenderam o povo chinês e perturbaram seriamente as relações sino-americanas", acrescentou o texto.

Além de Pompeo, outros sancionados são o assessor comercial de Trump, Peter Navarro, o conselheiro de Segurança Nacional Robert O'Brien, o subsecretário para o Leste Asiático e Assuntos do Pacífico, David Stilwell, o secretário de Saúde Alex Azar e a enviada na ONU Kelly Craft.

Pequim também sancionou o ex-conselheiro de Segurança Nacional de Trump, John Bolton, e outro ex-conselheiro, Stephen Bannon.

"Todos eles, assim como empresas e instituições associadas, não podem fazer negócios legalmente com a China", alertou a Chancelaria.

bfm/st/jz/mb/mr