PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Proibição da China Telecom nos EUA é 'repressão maliciosa', diz Pequim

28/10/2021 06h33

Pequim, 28 Out 2021 (AFP) - A proibição americana às operações da China Telecom nos Estados Unidos por motivos de segurança nacional, é uma "repressão maliciosa de uma empresa chinesa" - denunciou Pequim nesta quinta-feira (28), alertando que a disposição afetará as relações bilaterais.

Em entrevista coletiva, a porta-voz do Ministério chinês do Comércio, Shu Yuting, disse que a medida americana "compromete o clima de cooperação" entre os dois países.

Na terça-feira (26), os reguladores americanos suspenderam a autorização para que a filial local da China Telecom possa operar nos Estados Unidos, citando riscos "significativos" à segurança nacional.

A votação da Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês) ordena que a China Telecom Americas, controlada por Pequim, suspenda o serviço em 60 dias. Isso encerrará uma operação de quase 20 anos nos Estados Unidos.

Há anos, a China Telecom vem enfrentando turbulências nos Estados, particularmente durante a presidência de Donald Trump. Neste período, a empresa foi retirada da cotação da Bolsa de Valores de Nova York, junto com as empresas de telecomunicações estatais China Mobile e China Unicom, após uma ordem executiva do presidente republicano.

Os reguladores americanos também tomaram medidas contra outras empresas chinesas de telecomunicações.

Em 2018, o governo Trump começou uma campanha agressiva para interromper as ambições globais da Huawei, impossibilitando ao gigante chinês do setor de tecnologia ter acesso a componentes-chave e proibindo-o de usar os serviços Android do Google.

bys/rox/leg/zm/mar/tt