PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
4 meses

Atletas vindos do exterior deverão estar vacinados para participar de competições na França

17/01/2022 14h08

Paris, 17 Jan 2022 (AFP) - Qualquer atleta, seja amador ou profissional, que viajar à França para participar de competições, como o torneio Six Nations de rúgbi, deverá estar vacinado para entrar em um recinto esportivo, informaram à AFP fontes do governo francês.

Um dia depois da deportação do número um do tênis mundial, o sérvio Novak Djokovic, da Austrália, o governo francês detalhou que essa regra não será aplicada apenas aos atletas amadores e profissionais que estejam na França, sejam eles franceses ou não, mas também a esportistas estrangeiros que viajem ao país para competir.

"O certificado de vacinação se aplica a todo o mundo, aos voluntários, aos atletas de alto nível, inclusive os que venham do exterior, até segunda ordem", detalhou nesta segunda-feira (17) o Ministério dos Esportes francês à AFP.

Até agora, a regra só era clara para os atletas que vivem na França.

Desde o anúncio da implementação da exigência do certificado de vacinação no país, o Ministério dos Esportes havia detalhado que este só seria exigido aos atletas profissionais que trabalham na França.

A posição apresentada hoje esclarece as declarações feitas na semana passada pela ministra dos Esportes, Roxana Maracineanu, que havia dado a entender que, em teoria, a "bolha" sanitária de eventos esportivos, como o torneio de tênis de Roland Garros, permitiria a participação de atletas procedentes do exterior que não estivessem vacinados, como Djokovic.

Um atleta "que não esteja vacinado [...] poderá participar da competição, já que o protocolo, a 'bolha' sanitária dos grandes eventos esportivos, permitirá isso", havia explicado a ministra à emissora France Info no dia 7 de janeiro.

- Sem exceções em Roland Garros - Dez dias depois das declarações de Roxana Maracineanu, e um dia após a deportação de Novak Djokovic da Austrália, fica claro que não haverá exceções para as estrelas do esporte que não estiverem vacinadas.

"Não é possível que, para grandes atletas, artistas, personalidades, a regra seja burlada. Ela deve ser aplicada a todos", assinalou hoje o líder do partido político do presidente Emmanuel Macron, La République en Marche, na Assembleia Nacional, Christophe Castaner, à emissora de rádio BFM-RMC.

Djokovic "não tem o direito de jogar se não respeitar uma regra que será aplicada aos espectadores, aos gandulas, aos profissionais que vão trabalhar e os que terão um ponto de comércio em Roland Garros. Em que mundo estaríamos se disséssemos que, porque alguém é uma estrela, não precisa cumprir uma regra?", acrescentou.

Atualmente, não é necessário estar vacinado para entrar em solo francês, mas a exigência de um certificado de vacinação será feita a todos aqueles que entrarem em um estabelecimento que receba público.

As próximas competições internacionais são o Grand Slam de judô, nos dias 5 e 6 de fevereiro; o torneio Six Nations de rúgbi, de 5 de fevereiro a 19 de março; e o torneio de Roland Garros de tênis, entre os dias 22 de maio e 5 de junho.

No domingo, o presidente da Federação Francesa de Tênis (FFT) Gilles Moretton, informou que a entidade estava trabalhando "em colaboração com as autoridades públicas, que detalharão as regras relativas ao recebimento de atletas estrangeiros não vacinados para o nosso torneio [Roland Garros] em tempo útil".

dec/pel/psr/rpr