PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Ortega quer calar a Igreja na Nicarágua, denuncia bispo que faz jejum em protesto

20/05/2022 23h56

Manágua, 21 Mai 2022 (AFP) - O bispo católico nicaraguense Rolando Álvarez, um forte crítico do governo de Daniel Ortega, anunciou nesta quinta-feira um jejum por tempo indeterminado, em protesto por se considerar vítima de perseguição e cerco policial.

"Hoje fui perseguido durante todo o dia pela polícia sandinista (...) em todos os momentos durante todos os meus movimentos do dia", disse Álvarez, em um vídeo divulgado nas redes sociais.

O padre, bispo de Matagalpa e administrador apostólico da diocese de Estelí (norte), também é diretor da área de Comunicação da Conferência Episcopal da Nicarágua (CEN).

Ele afirmou que, quando pediu aos policiais que parassem de persegui-lo, os agentes responderam que obedeciam a "ordens superiores".

"Entraram no meu círculo de privacidade familiar (...) colocando em risco a segurança da minha família", acusou. Diante da situação, o bispo procurou refúgio em uma paróquia de Manágua, onde foi acolhido pelo padre Carlos Herrera.

No local, ele anunciou que começará um "jejum com água e soro, por tempo indefinido, até que a polícia" se comprometa, com o presidente ou vice-presidente da Conferência Episcopal, a respeitar sua integridade e a de sua família.

Ortega já acusou diversas vezes os bispos de "golpistas" por abrigarem em seus templos manifestantes em fuga ou que foram feridos durante a repressão aos protestos que explodiram contra seu governo em 2018. Desde então, a relação entre o governo e a Igreja é tensa.

Centenas de fiéis se solidarizaram com o bispo nas redes sociais e com orações nas paróquias. "É um ato de salvação, não é político. É de fé, para que sejam respeitados meus direitos individuais como cidadão", explicou o bispo durante uma missa virtual realizada hoje na paróquia, transmitida pelo Canal Católico, da TV a cabo.

Após a missa, o estatal Instituto Nicaraguense de Telecomunicações e Correios (Telcor, regulador), ordenou que o Canal Católico da Conferência Episcopal fosse removido da grade da TV a cabo. "Informamos aos nossos usuários de TV por assinatura que, por instruções da Telcor, ente regulador, o canal 51, Canal Católico, está sendo retirado da grade de programação do serviço", informou a empresa de telecomunicações Claro Nicarágua. Segundo a imprensa local, a medida foi estendida ao restante das empresas de TV a cabo do país.

str-bm/mav/me/fp/mvv/lb