PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Diabetes gestacional é facilmente controlável com alimentação adequada

26/05/2022 12h57

Paris, 26 Mai 2022 (AFP) - A diabetes durante a gravidez causa múltiplas complicações, mas pode ser controlada com uma alimentação adequada, sem cair em privações perigosas, de acordo com um estudo publicado nesta quinta-feira (26) no British Journal of Medicine (BMJ).

A chamada diabetes "gestacional" está "associada a complicações da gravidez", explica o informe. Esse distúrbio é diagnosticado por um nível de açúcar no sangue muito alto, que geralmente desaparece após o parto, embora aumente o risco de desenvolver diabetes clássica nos anos seguintes.

É considerado um dos distúrbios mais frequentes em mulheres grávidas, embora seja difícil precisar uma frequência exata devido à falta de consenso sobre o que constitui um excesso de glicose no sangue.

Sua frequência vem aumentando há vários anos, em parte porque o excesso de peso - que favorece a diabetes - está se tornando mais comum.

Quais são os riscos para o bom desenvolvimento da gravidez? E para o próprio bebê? Isso é o que o estudo do BMJ tentou avaliar.

O assunto não é novo, mas o trabalho dirigido pelo pesquisador chinês Fangkun Liu é de grande magnitude e inclui cerca de 150 estudos anteriores em mais de sete milhões de gestantes.

Os pesquisadores puderam confirmar a existência de inúmeros riscos e, principalmente, mostrar concretamente que estão relacionados à própria diabetes e não ao excesso de peso.

- Risco de desnutrição -Entre os riscos confirmados estão não apenas a cesariana e o parto prematuro, mas também a pré-eclâmpsia - distúrbio que se manifesta pela hipertensão e pode evoluir para convulsões perigosas - ou peso anormalmente elevado no recém-nascido.

Em algumas mulheres, o tratamento com insulina é necessário.

O estudo menciona riscos particulares para o bebê, como possível desconforto respiratório ao nascer.

No entanto, o trabalho também é tranquilizador em termos de uma eventual morte do recém-nascido.

Os autores observam que "não há diferença aparente" nesta área - ou em risco de aborto espontâneo - entre mulheres com diabetes gestacional e outras mulheres grávidas.

Por outro lado, o risco de desnutrição é particularmente alto em mulheres grávidas. Isso força um equilíbrio difícil para controlar a glicose no sangue sem frustrar as necessidades energéticas.

Daí a importância de consultar médico e nutricionista, ainda que eles próprios careçam de pontos de referência e recorram a abordagens muito diferentes.

Alguns alimentos devem ser proibidos? Refeições divididas para baixar o açúcar no sangue?

Diabetologistas franceses, coordenados pelas nutricionistas Hélène Louvet e Atefeh Nikpeyma, publicaram recomendações detalhadas há algumas semanas.

"Os conselhos dietéticos existentes eram antigos e muito sucintos", enfatiza Louvet.

As novas recomendações, que obviamente devem ser adaptadas a cada caso, procuram evitar ao máximo alterar a dieta da paciente.

Não recomendam absolutamente proibir qualquer alimento açucarado, embora logicamente deva ser limitado, ou fracionar as refeições. No entanto, esta continua a ser uma possibilidade dependendo da evolução da glicemia.

É necessário "ter em conta as situações particulares decorrentes da gravidez, mas também as diversas dificuldades (hábitos alimentares, gostos, situação social, financeira, profissional e organizacional etc.) da paciente", resume este trabalho.

jdy/fmp/gvy/mab/mis/mr