Ginástica britânica modifica procedimentos com atletas após ser alvo de críticas

Os treinadores devem autorizar ginastas a sair para se hidratar e a ir ao banheiro durante os treinos, e estão agora proibidos de pesar atletas, anunciou nesta quarta-feira (29) a federação britânica de ginástica, acusada de abusos "sistêmicos" em 2022. 

A British Gymnastics revelou nesta quarta algumas das "novas práticas" implementadas para "proteger melhor o bem-estar dos ginastas", mais de um ano após as conclusões de uma investigação independente que destacou vários casos de abusos. 

Baseando-se em 400 testemunhos, a advogada Anne Whyte denunciou o abuso físico e psicológico "sistêmico" em um relatório de mais de 300 páginas. 

Whyte observou que a busca por medalhas a qualquer custo levou os dirigentes a graves deficiências nas suas responsabilidades, particularmente a uma forte relutância em intervir contra práticas bem conhecidas de controle de peso dos atletas.

Por um lado, "os treinadores não devem pesar os ginastas", observou a federação nesta quarta-feira. Este procedimento deveria ser feito voluntariamente "apenas por médicos ou especialistas qualificados do esporte" e com "uma justificativa clara e cientificamente válida". 

Por outro lado, "só podem ser pesados ginastas com mais de dez anos", no âmbito de sua preparação, "e os dados de peso devem ser sempre combinados com outra medição", diz o relatório. 

A British Gymnastics lembra ainda o direito de cada ginasta poder "beber regularmente durante uma sessão ou atividade de ginástica". O relatório citou crianças privadas de comida e água pelos treinadores como punição. 

Durante os treinos, os ginastas também podem ir ao banheiro quando quiserem, lembra a federação.

jta/jde/dam/iga/aam/cb

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes