Polícia russa realiza operações em bares gay de Moscou, segundo imprensa local

A polícia de Moscou fez operações em várias boates gay e em uma sauna para homens, em batidas supostamente simultâneas, conforme relatado neste sábado (2) pela imprensa local.

As ações de fiscalização aconteceram após a Suprema Corte da Rússia proibir as atividades do "movimento LGBT" por considerá-lo "extremista", abrindo o caminho para uma maior repressão desta comunidade e dos defensores de seus direitos.

Em um vídeo do meio de comunicação Ostorozhno Novosti, a polícia aparece na entrada de um clube noturno na rua Malaya Yakimanka, onde acontecia uma grande festa.

Uma testemunha disse ao veículo que "no meio da festa, eles pararam a música e (a polícia) começou a entrar nos salões". Segundo ela, os agentes tiravam fotos de seus passaportes.

As forças das autoridades realizaram operações em pelo menos três bares durante a noite, conforme informações do veículo de notícias Sota.

De acordo com o Ostorozhno Novosti, uma batida em uma sauna para homens foi realizada no centro da capital.

A AFP não obteve acesso à confirmação dessas informações.

Devido à decisão da Suprema Corte, o "Central Station" de São Petersburgo, um dos clubes gays mais antigos da cidade, anunciou na noite de sexta-feira que fechará o estabelecimento.

A Rússia proibiu em 2022 a "propaganda LGBT" para todos os públicos, proibindo assim a representação de pessoas da comunidade em meios de comunicação, internet, livros e filmes.

Continua após a publicidade

bur/gv/giv/hgs/jvb/ms/jc

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora