Montanhistas são buscados após erupção de vulcão na Indonésia

Um vulcão entrou em erupção neste domingo (3) no oeste da Indonésia e lançou uma coluna de cinzas de três quilômetros de altura, forçando as autoridades a resgatar dezenas de montanhistas.

A erupção do Monte Marapi, localizado na ilha de Sumatra, começou às 14h54 locais (4h54 no horário de Brasília) e, até o momento, não causou vítimas ou danos.

As cinzas do vulcão, que permanece em erupção, foram observadas até 3.000 metros acima de seu cume, indicou a chefe do Centro Indonésio de Vulcanologia e Perigos Geológicos, Hendra Gunawan.

"Podemos ver essa coluna de cinzas muito intensa, de cor cinza escuro, inclinando-se para o leste", declarou Gunawan em um comunicado.

"As pessoas que vivem nas proximidades do vulcão e os turistas não podem entrar em um raio de três quilômetros ao redor da cratera", acrescentou.

No sábado e na manhã de domingo, pelo menos 70 pessoas entraram na área indicada, segundo os registros, e 42 delas ainda não haviam sido localizadas às 17h locais (7h de Brasília).

"Nossas equipes estão evacuando todos. Encontramos e evacuamos 28 pessoas e continuamos procurando as outras", declarou o chefe da agência de proteção de recursos naturais do oeste de Sumatra, Dian Indriati.

No entanto, a agência local de desastres disse mais tarde que 47 excursionistas haviam estado na montanha, e que ainda faltavam 28 para serem evacuados.

Alguns montanhistas não registram sua entrada ou saída da área, então o número exato de pessoas que permanecem lá é desconhecido.

Continua após a publicidade

O Monte Marapi, com 2.891 metros de altura e cujo nome significa "montanha de fogo", é o vulcão mais ativo de Sumatra.

O vulcão está atualmente no terceiro nível de alerta em uma escala de quatro, informaram as autoridades.

"A chuva de cinzas já chegou à cidade de Bukittinggi", a terceira maior cidade de Sumatra, com uma população de mais de 100.000 habitantes, declarou Ahmad Rifandi, chefe da estação de monitoramento do Marapi.

mrc-jfx/sag/pc/eg/ms/jc/ic

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes