EUA lança 'força de choque' contra fentanil

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou, nesta segunda-feira (4), uma "força de choque" contra o tráfico ilegal de fentanil, semanas depois de a China prometer cooperar na luta contra este opiáceo sintético.

Segundo o governo americano, os narcotraficantes, sobretudo o cartel mexicano de Sinaloa, fabricam o fentanil com substâncias químicas procedentes da China e depois o introduzem por contrabando no país através da fronteira com o México.

O novo grupo de ação "utilizará todas as ferramentas à disposição para desbaratar a capacidade dos narcotraficantes de vender este veneno em nosso país", afirmou a secretária do Tesouro, Janet Yellen, citada em comunicado.

A força será liderada pelo subsecretário do Tesouro para Terrorismo e Inteligência Financeira, Brian Nelson, e o chefe de investigação criminal, James Lee.

O objetivo é identificar melhor a lavagem de dinheiro, especialmente a realizada com criptomoedas, detectar a violação de sanções impostas a narcotraficantes e facilitar a colaboração com outros países, informou o Tesouro em comunicado.

Em novembro, o presidente chinês, Xi Jinping, aceitou tomar "uma série de medidas" para reduzir o fornecimento de substâncias químicas usadas para fabricar fentanil durante uma cúpula com seu par americano Joe Biden em San Francisco.

O Tesouro afirma que vai impulsionar este acordo entre os dois dirigentes "para retomar a cooperação bilateral no combate ao narcotráfico, focando em reduzir o fluxo de precursores químicos".

Em outubro, o México, que insiste em que não há produção de fentanil em seu país, também concordou em colaborar com a China contra este opiáceo sintético 50 vezes mais potente que a heroína.

Até agora, o Departamento do Tesouro americano utilizou as sanções - quase 250 desde dezembro de 2021 - como uma de suas principais ferramentas nesta luta.

Continua após a publicidade

As consequências do fentanil são devastadoras nos Estados Unidos, onde é responsável de cerca de dois terços das 110.000 mortes por overdose registradas entre março de 2022 e março de 2023, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

erl/mel/rpr/mvv

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora