Rapper Sean Combs volta a ser acusado de agressão sexual

O rapper Sean "Diddy" Combs, um dos homens de maior sucesso na indústria do gênero nos Estados Unidos, foi acusado de estupro por uma suposta vítima, que era menor de idade na época dos fatos.

Essa é a quarta denúncia de que Combs é alvo em menos de um mês. Na ação civil apresentada nesta quarta-feira (6) em um tribunal federal de Nova York, a autora da denúncia, cujo nome não foi divulgado, diz que o rapper e outros a estupraram repetidamente em 2003, quando ela tinha 17 anos.

O artista e produtor, também conhecido como "Puff Daddy", encontrou-se pela primeira vez com a autora da denúncia depois que seu sócio Harve Pierre a convenceu, em Detroit, a viajar em um avião privado para conhecer o rapper.

Antes do voo, Pierre obrigou a jovem a praticar sexo oral. Já no estúdio de Combs, ele e outros homens deram drogas e álcool à vítima e a estupraram repetidamente, segundo o documento.

"A depravação desses atos abomináveis marcou nossa cliente para o resto da vida, logicamente", declarou o advogado Douglas Wigdor, o mesmo da cantora de R&B Cassie, primeira mulher a denunciar Combs publicamente.

Essa é a quarta ação por estupro movida contra Combs. Todas as denunciantes o descrevem como um homem violento, que usava a fama para assediar e intimidar mulheres.

O rapper negou com veemência todas as acusações. Seu advogado não respondeu ao contato feito pela AFP.

Combs, 54, fundou a gravadora Bad Boy Entertainment em 1993 e foi uma figura importante na comercialização do hip-hop nas décadas seguintes. 

mdo/sst/af/atm/lb/ic

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes