Ucrânia reivindica assassinato de político ucraniano pró-russo perto de Moscou

Um político ucraniano pró-Rússia foi encontrado morto perto de Moscou, informaram agências russas nesta quarta-feira (6), e uma fonte do setor da Defesa ucraniana assumiu a responsabilidade pelo seu assassinato.

O corpo de Illia Kyva foi encontrado com "um ferimento na cabeça" no distrito de Odintsovo, perto de Moscou, informaram agências de notícias russas, citando autoridades locais.

O assassinato do "principal traidor, colaborador e propagandista Illia Kyva foi uma operação especial da SBU", os serviços de segurança ucranianos, disse à AFP uma fonte familiarizada com suas operações.

O homem foi morto com a ajuda de "armas leves", contou ele.

O Comitê de Investigação russo anunciou anteriormente a morte de um político pró-Rússia na explosão de um "dispositivo não identificado" colocado num veículo em Luhansk, uma cidade ocupada no leste da Ucrânia.

Um ex-deputado local, Oleg Popov, morreu após "a explosão de um dispositivo não identificado em um veículo", indicou o comitê em comunicado, acrescentando que estão esclarecendo as circunstâncias do incêndio.

O comitê afirmou que Popov foi eleito duas vezes no "parlamento" separatista de Luhansk e divulgou imagens de um carro carbonizado.

De acordo com o veículo local Lug-info, o homem de 51 anos era um empresário que se juntou aos separatistas pró-Rússia, apoiados por Moscou, após o início do conflito com Kiev, em 2014.

Entre outros, chefiou uma comissão responsável pelas questões de segurança e defesa, observou a mesma fonte.

Continua após a publicidade

Nos quatro territórios ucranianos reivindicados por Moscou - Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporizhzhia - ocorrem ataques regularmente, alguns fatais, contra funcionários da administração de ocupação russa.

No início de novembro, a Ucrânia assumiu a responsabilidade pelo assassinato de Mikhail Filiponenko, um deputado e ex-oficial militar na região oriental de Luhansk.

Os serviços de segurança russos (FSB) acusaram Kiev de estar por trás das tentativas de assassinato, no final de Outubro, de outro ex-deputado ucraniano pró-Rússia, Oleg Tsariov, na península anexada da Crimeia.

Moscou também acusou Kiev de vários homicídios ou tentativas de homicídio em território russo desde o início da invasão da Ucrânia, em fevereiro de 2022.

bur-led/pop/am/sag/mb/ms/yr

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora