Diplomatas de países árabes pedem cessar-fogo imediato em Gaza

Os ministros das Relações Exteriores de vários países árabes pediram, nesta sexta-feira (8), em Washington, o fim "imediato" da guerra na Faixa de Gaza.

"Nossa mensagem é que acreditamos ser absolutamente necessário pôr fim aos combates de imediato", disse o ministro saudita de Assuntos Exteriores, príncipe Faisal bin Farhan, em nome do grupo, pedindo que o Conselho de Segurança da ONU aprove uma resolução sobre um cessar-fogo humanitário em Gaza.

Ele lamentou que acabar com os ataques não pareça ser "a prioridade da comunidade internacional". 

A ONU deve decidir, provavelmente nesta sexta-feira, sobre uma resolução que peça "um cessar-fogo humanitário imediato", mas que é alvo de intensas negociações diante de um possível veto dos Estados Unidos. 

"A solução é um cessar-fogo", declarou o ministro egípcio, Sameh Choukri, enquanto seu par jordaniano, Ayman Safadi, considerou que "a prioridade número um é deter esta agressão". 

"Se a ONU não adotar esta resolução, deixará o caminho livre para Israel continuar com o massacre", afirmou. 

A delegação árabe, que inclui Egito, Catar, Arábia Saudita, Turquia e Autoridade Palestina, será recebida mais tarde nesta sexta-feira pelo secretário de Estado americano, Antony Blinken. 

"Tenho muitas esperanças de que nossos parceiros americanos façam mais. Acreditamos que podem fazer mais" para pôr fim ao conflito entre Israel e Hamas, afirmou o ministro saudita.

lb/cha/tm/mel/mvv/rpr

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora