Brasil pede a 'redução da dependência' de energias fósseis na COP28

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (Rede), pediu, nesta segunda-feira (11), "a redução da dependência dos combustíveis fósseis" na plenária da COP28, uma linguagem parecida com a do rascunho de acordo apresentado pela presidência. 

O rascunho despertou reações negativas de países em desenvolvimento e de organizações ecologistas, porque não contém a palavra "eliminação" dessas fontes de energia, responsáveis pelo aquecimento do planeta. 

"Todos esperamos uma decisão que nos conduza à construção coletiva de uma nova matriz energética que o planeta e a humanidade demandam para sua sobrevivência", acrescentou. 

Marina tomou a palavra na plenária, porque o Brasil sediará a COP30 dentro de dois anos. O Azerbaijão receberá a cúpula no ano que vem (COP29). 

O texto submetido a todos os países presentes em Dubai pela presidência emiradense propõe, como uma escolha, a "redução do consumo e produção de combustíveis fósseis" para alcançar o objetivo de manter a temperatura do planeta em +1,5°C. 

O texto é "uma regressão", criticou a principal aliança de organizações ecologistas, a Climate Action Network. 

"Nossas vozes não foram escutadas", explicaram os pequenos Estados insulares, os mais ameaçados pelo aumento do nível das águas. 

jz/mb/dd/aa

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes