Tensão no julgamento de chileno acusado de matar ex-namorada japonesa na França

O julgamento do chileno Nicolás Zepeda pelo assassinato em 2016, na França, de sua ex-namorada japonesa, Narumi Kurosaki, cujo corpo nunca foi encontrado, teve um interrogatório tenso do acusado nesta segunda-feira (11), suspenso após o desmaio da mãe da vítima.

Há uma semana, Zepeda comparece perante um tribunal de apelação em Vesoul (leste) após recorrer de uma condenação em 2022 a 28 anos de prisão pelo assassinato premeditado de Kurosaki, algo que ele nega. Ele agora enfrenta a possibilidade de ser condenado à prisão perpétua.

A audiência já estava tensa após um interrogatório rigoroso do promotor Étienne Manteaux, quando o advogado de defesa, Renaud Portejoie, tomou a palavra para questionar Zepeda sobre duas testemunhas-chave que afirmavam que ele pediu para apagar mensagens comprometedoras.

O tribunal também ouviu a transcrição de uma conversa com a ex-namorada japonesa, na qual Zepeda pede para excluir o contato de três rapazes, incluindo Arthur del Piccolo, último namorado da estudante antes de seu desaparecimento em Besançon (leste), em dezembro de 2016.

Incapaz de se justificar, o advogado instou Zepeda, que completou 33 anos nesta segunda-feira, a falar.

À medida que o interrogatório se prolongava, a mãe de Kurosaki chorava cada vez mais alto, até desmaiar nos braços de suas duas filhas.

Sua advogada, Sylvie Galley, pediu a interrupção da audiência, cuja retomada foi marcada pelo presidente do tribunal, François Arnaud, para a terça-feira.

O julgamento está previsto para continuar até 22 de dezembro. A acusação alega que Zepeda matou Kurosaki na madrugada de 5 de dezembro de 2016 na residência estudantil onde a jovem morava, antes de se livrar do corpo.

dsa/tjc/jvb/am/mvv

Continua após a publicidade

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora