Alemanha toma medidas contra financiamento da extrema direita

O governo de Olaf Scholz apresentou, nesta terça-feira (13), uma série de medidas para combater a extrema direita, atacando em particular o seu financiamento, em uma Alemanha em choque após a revelação de uma reunião secreta de extremistas que planejavam como expulsar estrangeiros. 

Ao receber com satisfação a recente manifestação de "centenas de milhares de cidadãos" contra os extremistas e o racismo - após a revelação dessa reunião em janeiro - a ministra do Interior, Nancy Faeser, detalhou as medidas para combater o que considera ser "a maior ameaça à ordem democrática".

"Queremos destruir essas redes da extrema direita. Queremos privá-las dos seus rendimentos, queremos tirar as suas armas", sublinhou em uma coletiva de imprensa em Berlim.

Em particular, quer expandir os poderes do Gabinete Federal para a Proteção da Constituição - a informação interna da Alemanha - para que possa combater mais facilmente as fontes de financiamento das redes de extrema direita. 

Com uma alteração à legislação relativa aos serviços secretos, deverá ser possível encerrar contas bancárias apenas com base na possibilidade de uma "ameaça potencial" à ordem pública. 

Neste momento, os investigadores têm este poder apenas se organizações ou redes incitarem ao ódio ou à violência. 

Questionada sobre o calendário de implementação desta medida, Faeser afirmou que seria "o mais breve possível".

clp/smk/ref/mab/mb/aa

© Agence France-Presse

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora