Crianças sírias apedrejam até a morte casal acusado de adultério

Da Agência Lusa

Crianças sírias, incentivadas por combatentes do grupo extremista Estado Islâmico mataram hoje (31) a pedradas um homem e uma mulher acusados de cometer adultério, na província de Deir Al Zur (Nordeste), informou a organização não governamental (ONG) Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

As vítimas foram apedrejadas na Praça Al Yaradeq, na cidade de Deir Al Zue, capital da província com o mesmo nome.

A maioria das crianças presentes no local atendeu a um apelo do Estado Islâmico para juntar pedras e atingir o casal, de acordo com a ONG.

Em fevereiro, a organização apedrejou duas mulheres acusadas de adultério, numa praça da mesma cidade.

A cidade está dividida em áreas dominadas pelo Estado Islâmico e pelas forças do regime sírio.

Nas regiões que controlam, os extremistas aplicam uma visão radical da lei islâmica (sharia) e impõem castigos severos - decapitação, apedrejamento ou crucificação - a quem não respeita as normas.

Na Síria, 4.225 pessoas foram executados pela organização desde que ela declarou o seu califado em junho de 2014.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos