MP do Rio denuncia pedagoga por injúria racial e racismo na praia

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou uma pedagoga pelos crimes de racismo, injúria racial e ameaça. Ela havia sido presa em flagrante no fim de agosto, em uma praia na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, depois de ofender três pessoas por causa de cor de suas peles.

As ofensas raciais foram filmadas por uma das vítimas. O caso aconteceu na Praia da Reserva, na Barra da Tijuca, no dia 28 de agosto. A pedagoga começou a ofender as pessoas que estavam em uma barraca ao lado da sua.

No vídeo, ela chama uma das vítimas de "complexada por ser mulata", completando que devia ter nascido branca. Além disso, segundo o MPRJ, ela disse que era racista e que negro era sub-raça e que não era para estar pegando sol na praia.

Além de injúria racial, a pedagoga, segundo o MPRJ, vai responder por ter ameaçado as vítimas ao dizer que era da milícia e iria se vingar se o caso fosse registrado na polícia. Os crimes de injúria e racismo estipulam penas de um a três anos de reclusão, além de multa, cada um. Já o crime de ameaça prevê pena de um a seis meses de detenção, além de multa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos