PUBLICIDADE
Topo

Coreia do Norte é perigosa e é preciso fazer algo, diz Trump em Varsóvia

Da Télam

06/07/2017 10h20

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira (6), em Varsóvia, na Polônia, que haverá consequências "muito ruins" e "perigosas" para o comportamento da Coreia do Norte: "é preciso fazer alguma coisa" sobre o assunto. Em uma entrevista coletiva conjunta com o presidente polonês, Andrzej Duda, Trump disse que não quer que a Coréia do Norte se torne uma nova Síria e pediu às nações aliadas para se juntarem não só para combater o terrorismo jihadista, mas também a ameaça norte-coreana. Trump acrescentou que os EUA estão analisando várias medidas "severas" contra  a Coreia do Norte, mas se recusou a responder quando questionado sobre uma possível resposta militar contra a Coreia do Norte. "Eu não vou traçar linhas vermelhas", disse Trump, ao lembrar o que classificou como o "grande erro" de seu antecessor, Barack Obama, que estabeleceu um limite - uma "linha vermelha" - para o uso de armas químicas na Síria. Para Trump, Obama não cumpriu a ameaça que fez, depois que ficou comprovado que o presidente sírio, Bashar al-Assad, fez uso de armas químicas. Sobre a Síria, acrescentou que nenhum país pode permitir ataques químicos em nome da defesa da humanidade. Além disso, Trump disse que seu país está "comprometido" com a defesa da Europa e criticou a Rússia por atividades "desestabilizadoras" no continente. Trump está na Polônia para uma agenda bilateral com o presidente polônes,  Andrzej Duda e teve um encontro com líderes do país e também da Croácia. Hoje ele vai para Hamburgo, na Alemanha onde deve se encontrar com a primeira ministra alemã, Angela Merkel e participar também da reunião da Cúpula do G20.