PUBLICIDADE
Topo

Alerj aprova veto de Pezão que mantém seu próprio salário sem corte

Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil

30/08/2017 21h30

A proposta previa redução em 30% do salário do governador Luiz Fernando Pezão e de seu viceTânia Rêgo Deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) mantiveram, nesta quarta-feira (30), veto do governador Luiz Fernando Pezão que garante a não redução em 30% de seu próprio salário e do vice-governador, Francisco Dornelles. A medida havia sido proposta pelo próprio Pezão, no auge da crise financeira do estado, como medida moralizadora, mas depois o próprio chefe do Executivo se arrependeu e decidiu vetar a lei que havia proposto. Pezão argumentou que várias propostas de contingência sugeridas por ele não foram aprovadas pela assembleia, o que era condição prévia para a redução de seu salário, que serve como teto no estado, balizando a remuneração de outros altos funcionários públicos. Para um veto ser derrubado, são necessários pelo menos 36 votos favoráveis. No entanto, a proposta que limitaria também os salários de secretários e subsecretários, teve 26 votos contra a derrubada do veto e 21 a favor, com uma abstenção.