Após conflitos, escolas e unidades de saúde da Rocinha voltam a funcionar

Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil

Comunidade da Rocinha, após confrontos entre grupos de traficantes  Fernando Frazão/Arquivo/Agência Brasil

As escolas e unidades de saúde da Rocinha voltaram a funcionar nesta quarta-feira (28), após confrontos entre grupos de traficantes e operações das forças de segurança na comunicade, localizada na zona sul da cidade. A Rocinha recebe hoje ações sociais em diversas áreas.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, as equipes que estavam realocadas em outras unidades voltaram hoje às suas próprias instalações. Também hoje, até as 13h, a secretaria promove a ação Saúde abraça Rocinha, nas clínicas da família Rinaldo De Lamare e Maria do Socorro, no Centro Municipal de Saúde Albert Sabin e em centros de Atenção Psicossocial e na unidade de pronto-atendimento (UPA) da comunidade, para acolhimento da população e dos profissionais.

As atividades são café da manhã coletivo; roda de conversa e terapia comunitária; musicoterapia; aula de alongamento e ginástica; escovação e distribuição de kits de saúde bucal; orientações sobre alimentação saudável; orientação e distribuição de métodos contraceptivos; oficinas de pintura e corte e colagem.

A Vigilância Sanitária também está na comunidade com atividades gratuitas, como vacinação de cães e gatos contra a raiva. Técnicos da Vigilância Sanitária ficarão em pontos fixos para emitir a licença sanitária de bares, restaurantes, padarias, salões de beleza, clínicas médicas e dentárias, pet shops e estúdios de piercing e tatuagem.

A Secretaria Municipal de Educação informou que as unidades escolares da Rocinha, do Vidigal e da Vila Canoas estão funcionando normalmente hoje.

Mais ações

As ações prometidas ontem (27) pelo prefeito Marcelo Crivella na Rocinha foram publicadas na edição de hoje do Diário Oficial do Município. Segundo a Prefeitura, os secretários estão trabalhando no local para viabilizar as ações.

Estão previstas operações de limpeza e instalação de grades de proteção no valão, operação tapa-buracos, melhoria da iluminação e contenção de encostas, além de serviços como caravana do emprego, cadastramento em programas sociais, biblioteca volante e vacinação antirrábica. O dinheiro virá da renovação do contrato de aluguel de bicicletas compartilhadas, de R$ 15 milhões, assinado ontem com o Bike Rio e o Itaú.

Na área de conservação e urbanismo, os serviços previstos incluem reparos na Estrada da Gávea, no Caminho dos Boiadeiros e em outras vias; limpeza e instalação de 360 metros de grade de proteção no canal principal da comunidade; melhoria da iluminação e substituição de lâmpadas apagadas nos postes; remoção de escombros; reforma de quadras esportivas; fechamento de buracos nas casas provocados por tiros; e pintura de escolas e creches.

Em saúde e vigiância sanitária, as ações são: reabertura de todas as unidades de saúde da comunidade; instalação de unidades móveis para vacinação antirrábica; instalação de três postos para licenciamento sanitário de bares, salões de beleza, petshops e estúdios de tatuagem, entre outros; além de orientação sobre boas práticas de higienização e manipulação de alimentos.

Na educação e cultura, a previsão é de reabertura das unidades da rede municipal de ensino, da Biblioteca Parque, da reabertura da Escola de Música da Rocinha e do Centro Lúdica e instalação da biblioteca volante na comunidade.

A Guarda Municipal e a Defesa Civil oferecem palestras preventivas nas escolas, com temas como prevenção às drogas e combate à dengue; capacitação comunitária, com treinamento para moradores se tornarem voluntários nas ações de prevenção e emergência, e capacitação de agentes comunitários de saúde.

A parte de serviços inclui cadastramento do Bolsa Família; criação de um polo avançado na parte alta da comunidade para atender a pessoas com deficiência; mutirão de reflorestamento; mutirão de limpeza do canal e Caravana do Emprego.

 

 

 

Maré

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, sete unidades de saúde não abriram nesta quinta-feira por causa da operação policial que ocorre na região.

A Secretaria de Educação informou que as escolas municipais do Complexo da Maré e da Penha estão sem atendimento. No total, são 20 escolas, oito creches e 15 espaços de desenvolvimento iInfantil (EDIs), que somam 15.329 alunos sem aulas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos