Operação C'est fini já prendeu 5 suspeitos de participar de esquema de Cabral

Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil

A Operação C'est fini, deflagrada hoje (23) no Rio pela Polícia Federal (PF), cumpriu todos os cinco mandados de prisão preventiva, pedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal. Segundo a PF, a ação ocorreu com base na delação premiada de Carlos Bezerra, um dos operadores da organização criminosa chefiada pelo ex-governador Sérgio Cabral.

Entre os presos estão Régis Fichtner, ex-chefe da Casa Civil de Cabral, o empresário Georges Sadala - suspeito de ser o operador financeiro do esquema montado pelo ex-governador - e os engenheiros Maciste Granha de Mello Filho e Henrique Alberto Santos Ribeiro, acusados de favorecimento no esquema de propina, que chegou a desviar R$ 21 milhões.

A medida cautelar do juiz Marcelo Bretas é um desdobramento das operações Calicute e Eficiência. O objetivo é desmontar a organização criminosa responsável pela prática dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, envolvendo contratos para a realização de obras públicas, entre elas o arco metropolitano e a urbanização de grandes comunidades carentes da cidade, conhecida como PAC-Favelas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos