PUBLICIDADE
Topo

Tuna Luso bate Remo nos pênaltis e decide Paraense contra Paysandu

12/05/2021 22h40

Considerada historicamente a terceira força do futebol do Pará, a Tuna Luso Brasileira está de volta a uma decisão de Campeonato Paraense após 14 anos. Nesta quarta-feira (12) à noite, a Águia Guerreira superou o Remo nos pênaltis por 6 a 5, após o empate por 1 a 1 no tempo normal no estádio Baenão.

Dez vezes campeã estadual e detentora de títulos das Séries B (1985) e C (1992) do Campeonato Brasileiro, a Tuna chega à final logo na temporada em que retornou à primeira divisão após cinco anos. De quebra, a Lusa, como também é conhecida a equipe, garantiu-se nas próximas edições da Copa do Brasil e da Copa Verde. A classificação à semifinal já havia assegurado ao time um lugar na Série D de 2022.

As equipes foram a campo precisando vencer para se garantirem na final sem necessidade das penalidades, já que ficaram no 1 a 1 na partida de ida, no último domingo (9), no estádio Francisco Vasques, o Souza. No tempo normal, o zagueiro Dedé, da Tuna, foi um dos protagonistas. Aos 11 minutos do primeiro tempo, o camisa 3 tentou impedir uma tabela entre o lateral Marlon e o meia Felipe Gedoz e acabou marcando contra. Aos 38 da etapa final, após escanteio cobrado na área, o próprio defensor, de cabeça, deixou tudo igual.

Os dois times reclamaram da arbitragem. No lance do gol remista, o árbitro Djonaltan Costa se chocou com o lateral Léo Rosa, deixando Marlon livre para a sequência da jogada, para revolta dos jogadores da Tuna. No empate da Águia Guerreira, por sua vez, o goleiro azulino, Vinícius, trombou com o volante Alexandre Pinho e caiu no gramado, deixando a meta livre para a cabeçada de Dedé.

Nas penalidades, a Tuna perdeu a primeira cobrança, com Léo Rosa chutando por cima da meta, mas o Remo não aproveitou a vantagem. Logo na segunda batida da série, o atacante Renan Oliveira teve a batida defendida por Gabriel. O goleiro brilhou novamente no sétimo arremate azulino, evitando o gol do atacante Erick Flores. Coube ao atacante Lineker balançar as redes e garantir a classificação da Águia.

O adversário da Tuna será o Paysandu, que também precisou dos pênaltis para se classificar. Mais cedo nesta quarta-feira, no estádio da Curuzu, o Papão empatou por 1 a 1 com o Castanhal e derrotou o time do interior por 4 a 2 nas penalidades. O placar do tempo normal repetiu o do jogo de ida, no estádio Maximino Porpino Filho, o Modelão, em Castanhal (PA), no domingo passado.

Os gols na Curuzu saíram no segundo tempo. Ari Moura, da entrada da área, abriu o placar para o Paysandu, aos cinco minutos. O também atacante Fidélis, em chute cruzado, empatou dez minutos depois. Aos 24, o zagueiro Denílson foi expulso, deixando os anfitriões com um a menos. Nos acréscimos, o Papão teve uma penalidade a seu favor, mas o atacante Nicolas acertou o travessão.

Na disputa de pênaltis, o atacante Pecel (chute para fora) e o lateral Cabecinha (defesa do goleiro Victor Souza) perderam as cobranças pelo Castanhal. O volante Perema, chutando no contrapé do goleiro Axel, fez o gol que assegurou a vitória e a classificação, que também garantiu o clube bicolor nas próximas edições de Copa do Brasil e Copa Verde.

Os dois finalistas aguardam a Federação Paraense de Futebol (FPF) anunciar as datas e horários dos jogos de ida e de volta.