Copacabana concentra manifestantes contra Dilma e o PT no Rio

Em Rio de Janeiro

O ato contra a presidente Dilma Rousseff (PT) na manhã deste domingo no Rio ocorre na orla de Copacabana, na zona sul. Cada um dos cinco grupos organizadores faz discursos inflamados contra Dilma e o PT, e a maioria do público usa camisas amarelas ou com frases contra o governo ou de apoio ao juiz federal Sérgio Moro, que atua na Operação Lava Jato.

O comando do 19º batalhão da PM, de Copacabana, estima entre 80 mil e 100 mil o número de manifestantes.

Em uníssono, todos vaiaram uma faixa onde se lê "Não vai ter golpe", puxada por um avião que sobrevoa a orla contratado pela Frente Brasil Popular, grupo contrário ao impeachment.

Bonecos infláveis do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva representado como presidiário são vendidos por R$ 10,00. Um rapaz vestido como Lula e com trajes de presidiário faz sucesso entre os manifestantes. Também há faixas e fotos do juiz Moro, e pelo menos três grupos defendem a candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) para presidente da República.

Entre os coros usados pelos grupos que protestam há paródias de músicas famosas e rimas. O grupo Revoltados Online alterna dois coros que dizem "ah que bom seria/se petista entendesse economia" e "não é mole não/socialista de iPhone e carrão".

O grupo Foro do Brasil - RJ usa uma gravação de "Pra Não Dizer que não falei das Flores" que, em vez de "vem, vamos embora que esperar não é saber", diz "Dilma vai embora que o Brasil não quer você". Entoado repetidamente por todos os grupos, o hino nacional é a canção mais cantada durante o ato.

Como informações do UOL.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos