Frio e abuso de álcool aumentam risco de morte de morador de rua

Em São Paulo

Segundo o diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Edson Stefanini, a população de rua costuma abusar do álcool, imaginando proteger-se do frio. "O que é falso. Na prática, isso apenas contribui para o risco de sofrer de hipotermia e morrer."

Segundo ele, o consumo de alimentos quentes e o uso de agasalhos ainda são a melhor maneira de se proteger contra as baixas temperaturas - o que é um problema quando se analisa a situação de rua.

"É importante destacar, também, o papel das vacinas contra gripe e pneumonia nesses pacientes, para reduzir infecções."

Stefanini explicou que idosos e portadores de doenças crônicas no coração apresentam maior chance de desenvolver complicações no frio. Conforme registros do Instituto Médico-Legal, seis corpos foram encontrados ao relento em São Paulo neste mês e as causas da morte --que podem incluir problemas do coração e broncopneumonia-- são investigadas.

Para o médico, o ideal seria "que as pessoas que ficam expostas ao frio se mantenham agasalhadas, periodicamente aquecendo-se em um ambiente mais protegido, além de cuidar de alimentação e sono". As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Saiba como ajudar os moradores de rua

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos