Chico Buarque deixa o Senado e reafirma que impeachment é 'golpe'

Brasília - Bastante assediado pela imprensa e causando um pequeno tumulto nos corredores do Senado, o cantor e compositor Chico Buarque deixou o Senado na tarde desta segunda-feira, 29, e evitou falar com a imprensa. Diante da insistência de jornalistas, Chico limitou-se a dizer que o impeachment era sim um "golpe" e reforçou que acha difícil que afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff seja revertido.

Chico fez parte da comitiva da presidente Dilma e ficou na galeria do Plenário desde cedo ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O cantor e compositor chegou de óculos escuros e foi assediado por parlamentares que tiraram fotos com o artista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos