Procuradoria Eleitoral investiga troca de votos por telhas e cimento no Paraná

De São Paulo

O Ministério Público Eleitoral do Paraná deflagrou nesta terça-feira, 8, a Operação Amianto, para combate a um esquema de compra de votos nas eleições de Saudade do Iguaçu, município com pouco mais de cinco mil habitantes a 420 quilômetros de Curitiba.

Entre os alvos da Amianto estão o prefeito reeleito Mauro César Cenci (PV) e seis vereadores, inclusive o presidente da Câmara, Josemar Antonio Cemin (PV). Os investigadores cumpriram 21 mandados de busca e apreensão na casa dos investigados, na Câmara Municipal e na prefeitura.

O Ministério Público Eleitoral cumpriu também oito mandados de condução coercitiva de eleitores que podem ter sido beneficiados pelo esquema de compra de votos. Há ainda onze pedidos de prisão pendentes de apreciação pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná.

Segundo o procurador regional eleitoral Alessandro José Fernandes de Oliveira, estão sendo apurados os crimes de associação criminosa e corrupção eleitoral. "O que se vê nada mais é do que um coronelismo vigente em pleno século XXI", disse. "Foi modernizado, aparelhado por novos expedientes escusos, mas mantendo a sua essência de abuso de poder, subjugação da liberdade de voto e maculação da lisura do pleito, bem como o mesmo nefasto resultado: o esfacelamento da ética na política e, consequentemente, a erosão da própria democracia."

A operação foi realizada com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público Estadual do Paraná. Segundo a investigação, o grupo político prometia benefícios assistenciais do município em troca de votos.

O grupo chegou a cortar benefícios, como cestas básicas, de moradores que se negaram a participar do esquema, aponta a Procuradoria Eleitoral. Por meio de interceptações telefônicas os investigadores descobriram que o grupo sob suspeita também fazia entrega aos eleitores de materiais de construção, como telhas e cimento.

Cinco pessoas foram presas por porte ilegal de arma, entre elas o vereador Setembrino Nath (PMDB), o vice-presidente da Câmara, João Rodolfo da Costa (PV), a vereadora Sueli Civa Bochio (PSD) e seu filho Itacir Junior Bochio.

O Operação Amianto atingiu ainda a secretária de Assistência Social do município, Salete Rizzatti Trento, o diretor de Urbanismo, Jucilmar Marangon, os vereadores Eguinaldo Paulo Piaia (PMN) e Neidelar Vicente Bocalon (PR), o ex-candidato Idiomas da Silva Perico, o Edi Perico, e os servidores municipais Idacir José Bochio e Fabiane Gricoletto Martimianos, a Fabi.

Defesa

Uma funcionária da Câmara Municipal de Saudade do Iguaçu disse à reportagem do Estadão que a Casa não vai se pronunciar.

A reportagem tentou contato com o presidente da Câmara Josemar Antonio, mas as ligações não foram atendidas.

A reportagem também tentou contato com o prefeito reeleito de Saudade do Iguaçu, Mauro César Cenci (PV), mas as ligações não foram atendidas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos