Lula e Pimentel atuaram para viabilizar obras da Odebrecht em Cuba, segundo delação

Breno Pires e Luiz Vassallo

Brasília, 11 (AE)

  • Ricardo Stuckert/Instituto Lula

    Ao lado de Fernando Pimentel (esq.), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participa de evento em Montes Claros (MG) em 2015

    Ao lado de Fernando Pimentel (esq.), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participa de evento em Montes Claros (MG) em 2015

O empresário Marcelo Odebrecht revelou, em delação premiada, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT-MG), atuaram politicamente para viabilizar a contratação do grupo para obras no Porto de Mariel, em Cuba.

O depoimento de Odebrecht, complementado por delações do patriarca do grupo, Emilio, e do diretor João Carlos Mariz Nogueira, foi encaminhado ao ministro relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, que reconheceu incompetência para apreciar o caso e autorizou o encaminhamento dos depoimentos à Procuradoria da República do Distrito Federal.

Lula já é investigado por suposto tráfico de influência envolvendo a obra. O empreendimento foi orçado em US$ 957 milhões - dos quais US$ 682 milhões saíram do BNDES. O julgamento de ação envolvendo o caso está sob competência do juiz federal Marcelo Rebello Pinheiro, da 16ª Vara Federal/DF.

"Segundo o Ministério Público, os colaboradores apontam a atuação de agentes públicos para auxiliar o financiamento e a execução de obras em Cuba pelo Grupo Odebrecht. Marcelo Bahia Odebrecht teria narrado a atuação política de Fernando Pimentel e Luiz Inácio Lula da Silva a fim de que fossem viabilizadas as obras da companhia no Porto de Mariel em Cuba, informações que teriam sido complementadas por João Carlos Mariz Nogueira e Emílio Alves Odebrecht", anotou Fachin.

Acolhendo solicitação da Procuradoria-Geral da República, o ministro manteve sigilo dos termos dos autos.

Moro deve julgar 6 pedidos contra Lula

Todos os pedidos de abertura de investigação contra Lula foram encaminhados ao juiz Sergio Moro na Justiça Federal do Paraná. Dilma também está em um mesmo pedido de inquérito com Lula e outro no TRF da 3ª Região. Já Fernando Henrique terá seu pedido de inquérito analisado na Justiça Federal de São Paulo.

Entre os citados, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) e o governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB-MA) também deverão ter seus pedidos de inquérito avaliados pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça). Veja a lista completa.

Citado, indiciado, réu... Entenda os estágios de investigação

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos