PUBLICIDADE
Topo

CUT negocia e decide que parte artística do 1.º de maio será na República

Juliana Diógenes e Sara Abdo

São Paulo

30/04/2017 16h15

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) recorreu da liminar da Justiça que proibia o realização do ato em comemoração ao Dia do Trabalhador na Avenida Paulista na segunda-feira, 1º de maio. Após acordo com o Justiça feito neste domingo, 30, a CUT tem a permissão de realizar concentração e ato político na Avenida Paulista, mas a manifestação artística prevista para as 15 horas foi transferida para a Praça da República, na região central de São Paulo.

A concentração começará a partir das 12 horas na região da Consolação, onde haverá um carro de som.

Às 14 horas, está previsto um ato político com os representantes sindicais da Central dos Trabalhadores Brasileiros (CTB) e Intersindical.

A presença do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva ainda não está confirmada.