General diz que ministro Fachin não foi monitorado pela Abin

Brasília

  • Fellipe Sampaio/SCO/ STF

    Ministro Edson Fachin (ao centro), relator da operação Lava Jato no STF

    Ministro Edson Fachin (ao centro), relator da operação Lava Jato no STF

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sergio Etchegoyen, negou que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) tenha monitorado o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, conforme reportagem da mais recente edição da revista "Veja".

Relator da Operação Lava Jato no Supremo, Fachin foi o responsável por homologar o acordo de delação premiada dos acionistas e executivos do grupo J&F, que delataram o presidente Michel Temer. "Tenho certeza de que isso não aconteceu. Confio na Abin, nos profissionais da Abin e eles têm dado reiteradas mostras de seu profissionalismo", afirmou Etchegoyen ao jornal "O Estado de S.Paulo".

A agência é subordinada ao gabinete do general. O Palácio do Planalto emitiu na noite de anteontem uma nota à imprensa negando a versão da publicação. Etchegoyen telefonou para a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, para negar o teor da reportagem. "Eu não me prestaria a isso." Para Etchegoyen, a Abin "não iria bisbilhotar ninguém".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos