Maia volta a afirmar que recesso poderá ser suspenso para votar denúncia

Isadora Peron

Brasília

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a afirmar nesta terça-feira, 4, que, se for necessário, o recesso parlamentar poderá ser suspenso para que a denúncia contra o presidente Michel Temer seja votada no plenário.

"Se for preciso e estiver ajustado entre os deputados (pode haver a suspensão do recesso)", afirmou.

Segundo ele, essa decisão vai depender do andamento do processo na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

De acordo com o cronograma elaborado pela base governista, no entanto, a ideia é votar a denúncia no plenário até 17 de julho, um dia antes do início do recesso parlamentar.

Como Temer deve encaminhar a sua defesa à CCJ nesta quarta-feira, 5, a leitura do parecer na comissão deve acontecer, de acordo com os prazos regimentais, até 10 de julho. Dessa forma, a votação na comissão aconteceria no dia 12 de julho.

Depois disso, o pedido seguiria para plenário. Inicialmente, a base aliada espera tentar votar o assunto já no dia seguinte à apreciação da CCJ. Ou seja, no dia 13 de julho, próxima quinta-feira.

Os parlamentares contam, no entanto, com a possibilidade de terem que fazer essa votação na sexta-feira, 14 de julho, ou, no máximo, no dia 17, quando está marcado como último dia de atividades no Congresso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos