Lula não tem relação com imóvel vizinho, diz defesa

Fausto Macedo, Júlia Afonso e Ricardo Brandt,

São Paulo

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva classificou ontem de "factoide" as informações relativas ao apartamento vizinho ao do petista. "A imprensa desconsiderou que a sra. Tatiana de Almeida Campos prestou depoimento em 23/5/2017 ao juiz Sérgio Moro e esclareceu que a referência a Lula decorre apenas de uma afirmação feita pelos seus advogados à época para que ela assinasse os documentos de venda", disse, em nota, o advogado Cristiano Zanin Martins.

O defensor do ex-presidente transcreveu trecho do depoimento de Tatiana no qual ela afirma: "Eu não li nada, eu não vi nada, eu não tive contato com ninguém", ao ser questionada sobre o apartamento.

Ainda segundo Zanin, na ocasião a defesa indagou a Tatiana: "Então a senhora não viu nada em relação a essa venda que tivesse o nome do ex-presidente Lula?" "Eu só tive contato com a minha advogada e com o dr. Sergio Barela, que já estava lá no local. Eu não encontrei nem com a minha madrasta nesse dia", respondeu ela.

O advogado disse ainda que o caso dos recibos apresentados pela defesa de Lula que comprovariam o pagamento de aluguel ao engenheiro Glaucos da Costamarques - dois deles registram datas que não existem - é uma "falsa polêmica". Segundo Zanin, as assinaturas dos recibos "foram reconhecidas como autênticas pelo proprietário do imóvel locado a dona Marisa".

Para o advogado do ex-presidente, "a responsabilidade sobre os documentos, e sobre a veracidade do que eles atestam, é da pessoa que os assinou".

Procurada, a defesa do advogado Roberto Teixeira não se manifestou até a conclusão desta edição.

Depoimentos

A ex-proprietária do apartamento vizinho ao que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reside em São Bernardo do Campo, Tatiana de Almeida Campos, afirmou à Receita Federal que acreditava que o imóvel seria vendido ao petista. Segundo ela, em 2010, no momento em foi feita a escritura de cessão de direitos da propriedade, o bem seria alienado ao ex-presidente. "Pra mim, ele (Lula) era o dono, de modo que se perguntarem à minha família, todos vão dizer que eu ‘vendi’ a cobertura do meu pai para o Lula", disse.

Tatiana herdou o apartamento 121 do Edifício Hill House. Lula mora no apartamento 122 no mesmo prédio. Até 2007, o apartamento 121, que pertencia ao pai de Tatiana, Augusto Moreira Campos, era alugado pelo PT. De 2007 a 2011 foi a Presidência da República que locou o imóvel, que foi usado durante os dois mandatos do petista para abrigar as equipes de segurança.

Por causa das investigações da Lava Jato, Tatiana foi procurada pela Receita. Ela disse, em 2016, em documento anexado ao processo da operação, que sua advogada Lacier Pereira de Almeida Souza, que é sua prima, a buscou em 20 de setembro de 2010 para assinar a venda da cobertura para Lula. "Foi isso que ela me falou no taxi, na ida ao cartório", escreveu Tatiana.

"Como eu confiava muito nela, somente perguntei se estava tudo correto, ela fez um sinal positivo e me disse onde assinar. Eu não li nada, simplesmente assinei acreditando estar vendendo a cobertura para o Lula." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos