PUBLICIDADE
Topo

Governador da Bahia defende Jaques Wagner e diz que operação tem cunho político

Daniel Weterman

São Paulo

26/02/2018 15h02

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), saiu em defesa do ex-governador e secretário de seu governo Jaques Wagner, alvo de uma operação da Polícia Federal nesta segunda-feira. Costa afirmou confiar na "lisura" de Wagner e afirmou que a investigação tem cunho político.

Para o governador, as buscas na residência e no gabinete de Wagner na Secretaria de Desenvolvimento Econômico do governo do Estado têm "cunho midiático e político" porque, segundo ele, equipes de reportagem chegaram à casa do ex-governador antes dos policiais. Jaques Wagner é apontado como um possível "plano B" do PT para a eleição presidencial, caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não seja candidato.

"Quando uma televisão ou a imprensa chega antes nos locais em que vai ter uma operação policial, fica claro que a operação não tem um fim da investigação, ela tem um fim jornalístico, midiático e político partidário", disse Costa em entrevista à imprensa nesta manhã. Ele publicou o conteúdo das declarações em vídeo nas redes sociais.

Jaques Wagner foi indiciado criminalmente por suposto recebimento de propinas nas obras do Estádio da Fonte Nova, em Salvador. "O estádio foi o mais barato entre todos os que foram construídos no Brasil, seja por metro quadrado, seja por assento", alegou o governador.

"Tenho absoluta certeza da lisura de tudo que foi feito, conheço há 25 anos o ex-governador, sei da sua lisura, da sua correção e o processo de investigação comprovará isso", declarou Rui Costa.