Topo

Moradores flagram macaco-prego na zona leste e pedem ajuda para resgatá-lo

Macaco foi apelidado de Chico - Luciano Candisani
Macaco foi apelidado de Chico Imagem: Luciano Candisani

Renata Okumura

17/10/2019 21h47

Há uma semana, um novo visitante tem chamado a atenção de moradores da Vila Carrão, na zona leste de São Paulo. Um macaco-prego apareceu em cima de uma das casas do bairro. Apelidado de Chico, desde então, ele caminha sobre casas, sobe em muros, pendura-se na fiação elétrica e também invade casas, em busca de alimentos.

Vários vídeos feitos por moradores estão circulando em redes sociais. Apesar de estarem surpresos e encantados com o macaquinho, também estão preocupados e tentam buscar ajuda para resgatar o animal.

Nesta quinta-feira, 17, ele foi visto na Rua Dr. Alencar Guimarães, na altura do número 88.

"Quando ouvi a história, achei que era boato, mas agora eu vi o macaco. Ele está no bairro há uma semana. Os vizinhos ligaram para o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), mas sem sucesso. Eu telefonei para a Polícia Ambiental, que disse que eu deveria acionar o Corpo de Bombeiros, que, por sua vez, disse não fazer resgate de animais. Liguei para o 156 e me encaminharam para a Defesa da Fauna Paulistana, que trabalha com resgate de animais silvestres, e foi o primeiro órgão a demonstrar preocupação", disse a vendedora Kathlyn de Souza Salinas, de 23 anos.

Em uma das casas do bairro há muitas árvores frutíferas, que vêm servindo de alimentação para o macaco. "Ele fica bastante tempo dentro de uma casa que tem muitas bananeiras. No meu bairro também tem um feirante, que é na casa que ele aparece comendo coco no vídeo. Também colocaram mamão aberto. Ele também entrou em outras casas em busca de alimentos. Fome não está passando. Está bem serelepe", relatou.

Na quarta-feira, 16, os moradores tiveram retorno da Defesa da Fauna Paulistana. O órgão acompanha o deslocamento do animal pelo meio urbano. Moradores também receberam a informação que o macaquinho, apelidado de Chico, "está foragido" há dois meses do Jardim Santo André, também na zona leste.

Secretaria

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente informa que o Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres (CeMaCas) recebeu de 2018 até agora 591 ocorrências envolvendo primatas.

As espécies mais comuns atendidas são saguis, bugios, macacos-pregos e sauás.

Ao encontrar um animal silvestre que esteja ou pareça estar ferido ou em risco, o munícipe deve contatar a Divisão da Fauna Silvestre, com unidades nos Parques Ibirapuera e Anhanguera, pelo telefone (11) 3885-6669, de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Caso o animal observado possa ser fotografado, as imagens podem ser enviadas para o número 96715-5424 (pelo aplicativo whatsapp).

Em relação à ocorrência na Rua Dr Alencar Guimarães, não houve nenhum atendimento da Divisão da Fauna Silvestre nesta quinta-feira no referido endereço.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Cotidiano