Lucro do setor agropecuário nos EUA deve recuar 17,4% em 2023, a US$ 151,1 bi

São Paulo, 1 - O lucro líquido do setor agropecuário dos Estados Unidos deve somar US$ 151,1 bilhões em 2023, um recuo de US$ 31,8 bilhões, ou 17,4%, ante o resultado recorde do ano passado, de US$ 182,8 bilhões, de acordo com a mais recente projeção do Serviço de Pesquisa Econômica do Departamento de Agricultura do país (USDA). O lucro líquido ajustado à inflação ficaria 20% abaixo do registrado no ano passado. Ainda assim, caso se confirme, o lucro (em termos reais) ficará acima da média dos últimos 20 anos, de US$ 137,3 bilhões.

Segundo o USDA, a baixa do lucro líquido em 2023 ocorre em meio a uma redução de 22,3% nos pagamentos diretos do governo ante o ano anterior, que devem somar US$ 12,1 bilhões. Além disso, o USDA espera um aumento de 3,5% nas despesas totais de produção, para US$ 443,4 bilhões, refletindo principalmente custos mais altos com juros e compra de gado e aves, enquanto gastos com fertilizantes, combustíveis e ração devem recuar.

Na agricultura, a receita deve diminuir US$ 12,1 bilhões, ou 4,4%, para US$ 264,2 bilhões em termos nominais, com preços mais baixos de soja, milho e algodão. A expectativa é de um recuo de US$ 3,6 bilhões (5,9%) da receita com soja. A receita com milho deve cair US$ 9,4 bilhões (10,6%) em 2023. Já a previsão para a receita do algodão é de queda de US$ 1,4 bilhão (16,9%). No caso do trigo, a receita deve recuar US$ 200 milhões (1,3%).

Já o faturamento da pecuária em 2023 deve perder US$ 13 bilhões, ou 5%, para US$ 245,4 bilhões em termos nominais, com previsão de recuo nas receitas da maioria dos produtos animais, com exceção de bovinos, disse o USDA. O faturamento com bovinos deve aumentar US$ 14,3 bilhões (16,6%), com o aumento dos preços superando a baixa nas quantidades vendidas.

As receitas com lácteos devem cair US$ 10,5 bilhões (18,3%), enquanto a receita com frango deve ser reduzida em US$ 7,2 bilhões (14,3%). Já o faturamento com suínos deve ter queda de US$ 4,4 bilhões (14,2%).

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes