USDA em Brasília estima produção brasileira de algodão de 3,2 milhões de t

São Paulo, 5 - A produção de algodão no Brasil deve alcançar 3,2 milhões de toneladas (ou 14,7 milhões de fardos) na temporada 2023/24, de acordo com a projeção mais recente do escritório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em Brasília (DF). O volume representa aumento de cerca de 25,4% em relação à estimativa para a temporada anterior, de 2,5 milhões de toneladas, refletindo uma colheita recorde, segundo a agência.

A projeção de área plantada subiu para 1.928 quilos por hectare, ante 1.595 kg/ha no ciclo anterior, segundo o USDA. Já a área colhida é prevista para 1,66 milhão de hectares no ciclo 2023/24, em comparação com uma área de 1,6 milhão de hectares em 2022/23.

As estimativas consideram as condições climáticas favoráveis, especialmente durante o período de colheita, e a maior produtividade. Segundo o escritório, a temporada atual deve superar a temporada 2020/21, até então a mais produtiva, com 13,8 milhões de fardos (3 milhões de toneladas).

A previsão para consumo doméstico é de 751 mil toneladas (3,5 milhões de fardos) em 2023/24, recuo de 4% em relação ao ciclo anterior. Quanto às exportações, o Brasil está prestes a igualar seu volume recorde de exportações, mantendo a China como principal comprador, disse o escritório do USDA.

Os embarques devem somar 2,4 milhões de toneladas, impulsionados pelo real desvalorizado ante o dólar, pelas importações globais maiores (lideradas por China e Bangladesh) e pela redução na produção na China, Índia e Estados Unidos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes