PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Papa é chamado por 420 religiosos a mediar crise na Espanha

25/09/2017 13h24

BARCELONA, 25 SET (ANSA) - Um grupo de 420 religiosos catalães pediu hoje (25) que o papa Francisco faça a mediação do conflito político entre a Espanha e a região da Catalunha, que quer se separar do resto do país. Os eclesiásticos escreveram ao líder católico para pedir que converse com as autoridades espanholas e que Madri permita a realização do referendo agendado para 1 de outubro sobre a independência da Catalunha. Na carta, os religiosos pedem o "fim da repressão" e sugerem que o Papa "convite o governo da Espanha, publicamente ou por vias diplomáticas, a rever sua oposição visceral ao referendo, solicitado por 80% da população, e a cessar suas ações repressivas". "É nossa vontade realizar o referendo. Esse é um mandato que recebemos das urnas em 2015. Estamos dando execução a este mandato democrático recebido pelo Parlamento", disse o delegado do governo catalão na Itália, Luca Bellizzi, em um fórum promovido pela ANSA em Roma. A Espanha sempre se opôs às ambições da Catalunha de declarar sua independência. Apesar de toda pressão, a região separatista confirmou a convocação de um referendo para 1 de outubro. Na semana passada, porém, uma operação da polícia prendeu 14 líderes políticos e sequestrou milhares de cédulas de votação. O governo de Mariano Rajoy anunciou que fará "todo o possível" para impedir a consulta popular. O procurador espanhol José Manuel Maza também comentou que o presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, poderia ser preso nos próximos dias. "É uma hipótese aberta", admitiu, alegando que há várias denúncias de crimes de malversação pela convocação do referendo. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional