DNA confirma morte de brasileira sumida em cruzeiro na Itália

SÃO PAULO, 30 SET (ANSA) - Um exame de DNA confirmou que um corpo encontrado no Mar Adriático pelas autoridades da Itália em julho passado pertence à brasileira Simone Scheuer Sousa, funcionária da MSC desaparecida de um navio de cruzeiro da empresa há mais de três meses.   

A informação foi confirmada à "TV Globo" na última quinta-feira (29) pelo advogado da família da vítima, que vivia na zona sul de São Paulo. O corpo foi encontrado no dia 18 de julho, no nordeste da Itália, perto de Veneza, última cidade onde a brasileira havia sido vista com vida.   

Sousa, faxineira do navio MSC Musica, tinha 35 anos e sumiu na manhã de 18 de junho. Como ela fazia o turno noturno, seu desaparecimento só foi notado à 0h53 do dia seguinte, uma segunda-feira. Naquele momento, o navio navegava entre Veneza e Brindisi, no sul da Itália.   

A Procuradoria da República investiga duas hipóteses: suicídio ou homicídio, já que a brasileira teria discutido com seu chefe horas antes do desaparecimento. Em entrevista à ANSA no fim de junho, uma amiga de Sousa, Silvana Mendonça, confirmou o entrevero, mas ressaltando que não foi "nada fora do normal".   

O superior da brasileira era um cidadão de Maurício, nação insular situada no Oceano Índico. O pai da vítima também disse à ANSA, logo após o sumiço, que não tinha conhecimento de nenhuma ameaça contra sua filha.

Em nota, a MSC disse que recebeu das autoridades "a triste notícia sobre nossa colega Simone". "Estamos extremamente entristecidos e expressamos nossas mais profundas condolências para a família e amigos", afirmou a empresa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos