PUBLICIDADE
Topo

MPF dá 72h para que governo explique exclusão de estatísticas

07/06/2020 09h24

SÃO PAULO, 07 JUN (ANSA) - O Ministério Público Federal (MPF) deu 72 horas para que o Ministério da Saúde explique a exclusão de informações dos boletins diários sobre a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A decisão, anunciada no fim da noite deste sábado (06), quer que o ministro interino da pasta, general Eduardo Pazuello, envie informações detalhadas sobre as alterações nas estatísticas, quais as motivações para a mudança, bem como se houve a diminuição de algum índice de maneira proposital. O procedimento foi aberto pela Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos e a justificativa foi que a transparência nas informações é um dos deveres do poder público em qualquer esfera.   


Segundo o despacho, a restrição nos números divulgados limita "o acesso do público a dados que são relevantes, não sigilosos, e que podem orientar" a conduta das pessoas durante o período da pandemia da Covid-19. Além disso, cita que a Constituição brasileira assegura que todos os cidadãos tem direito à informação e também pontua as obrigações contidas na Lei de Acesso à Informação.   


O Ministério da Saúde começou a atrasar a divulgação dos boletins diários da Covid na última semana, alegando problemas técnicos a princípio. No entanto, na sexta-feira (05), o boletim divulgado veio com bem menos informações do que os anteriores, focando apenas no número de curados, no número de casos e no número de mortes em 24 horas.   


Na mesma noite, o portal Coronavírus Brasil, que reunia as estatísticas desde o início da pandemia no país, com gráficos mostrando a evolução da doença tanto de maneira nacional como por regiões e por estados, saiu do ar. O site voltou na tarde deste sábado (06), por volta das 17h, com a mesma forma do boletim e com a supressão das antigas informações.   


Em uma série de postagens em sua conta no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro justificou a mudança dizendo que era uma forma de passar informações de maneira mais concreta.   


"As rotinas e fluxos estão sendo adequados para garantir a melhor extração dos dados diários, o que implica em aguardar os relatórios estaduais e checagem de dados. Para evitar subnotificação e inconsistências, o Ministério da Saúde optou pela divulgação às 22h, o que permite passar por esse processo completo. A divulgação entre 17h e 19h, ainda havia risco subnotificação", escreveu.   


Ainda no sábado, o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Câmara dos Deputados informaram que, se o governo mantiver a divulgação de tão poucas informações, ambos os órgãos criarão portais com os dados oficiais.   


- Dados Oficiais: Na noite deste sábado, o Ministério da Saúde divulgou que foram registradas 904 mortes em 24 horas, elevando o total de vítimas para 35.930. Já os casos aumentaram em 27.075, totalizando 672.846 pessoas que já contraíram o novo coronavírus desde fevereiro. Houve ainda 10.209 pacientes recuperados entre sexta-feira e sábado.   


(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.