Seus cabelos estão caindo? Saiba quando você deve se preocupar

  • Thinkstock

Para algumas pessoas, pode ser angustiante ver seu cabelo cair. Mas nem todos esses casos são prenúncios de calvície iminente ou de alguma doença. Na verdade, estima-se que todos os dias perdemos de 50 a 100 fios de cabelo - o que é absolutamente normal.

"É algo fisiológico. No couro cabeludo, há cabelos em diferentes estágios: alguns estão crescendo, outros estabilizados e outros devem cair" explica o dermatologista do Hospital Universitário de Navarra Leyre Aguado.

Em muitos casos, a perda de cabelo é uma reação ao momento do ano em que estamos e um lembrete do nosso passado.

"Depende da parte animal que ainda conservamos, o que nós dermatologistas chamamos de estigma filogenético. Em todos os mamíferos, exceto os seres humanos, existe o que chamamos de movimentos sincronizados anuais", disse à BBC Mundo Ramon Grimalt, professor de dermatologia na Universidade Internacional da Catalunha.

"Se você tem um cão ou um gato, um cervo ou um urso, você vai ver que a cada primavera estes mamíferos perdem, de forma sincronizada, todos os seus pelos para passar o verão fresco. E, de outubro a novembro, sem tomar qualquer suplemento ou pílula ou sem colocar uma loção, eles recuperam seus pelos novamente. "

Mas, ao contrário dos animais, as pessoas não precisam de seus cabelos para regular a temperatura corporal. Assim, esta sincronização é desnecessária e a maioria tem uma mudança diária de cerca de 50 a 100 cabelos.

O cabelo cai e se renova diariamente. O doutor Grimalt chama o processo de substituição.

"Mantemos essa tendência de agrupar essas substituições. Para a maioria de nós, não caem exatamente 100 fios por dia, mas passamos por épocas que caem apenas 50, 60, 70 e outras em que são descartados 150 ou 200 por dia. E estas épocas muitas vezes coincide com o fim do verão e início do outono", diz o especialista.

E, como acontece com os mamíferos, os cabelos perdidos se recuperam.

Quando devemos nos preocupar?

Grimalt tem um método infalível: "O que deve nos preocupar realmente é nossa imagem, não nossas escovas".

A escova cheia de cabelos tornou-se um sinal de alerta para muitas mulheres.

Mas, como explica o médico, vamos fazer uma pausa para pensar em uma coisa: se as mulheres geralmente o cabelo muito mais longo do que os homens, 100 cabelos desprendidos ocupam um volume maior se comparado a 100 cabelos que vão cair de um homem com cabelo curto.

"A substituição sazonal é idêntica em homens e mulheres. Se eu usar o corte de cabelo de um ou dois centímetros de distância da cabeça, 100 cabelos cairão todos os dias e eu praticamente não os verei porque eles não ficarão presos no pente ou escova, nem entopir o chuveiro ", diz o médico.

"Ninguém deve se preocupar com o volume de cabelo que cai. Você tem que se preocupar com sua imagem," diz o médico.

Comparar uma foto do ano passado com uma atual é um bom método para detectar se há "clareiras" na cabeça. Você vê menos pêlos? Esse é um sinal.

Se isso ocorrer é importante consultar um médico para determinar o que está acontecendo.

"É um absurdo ir a um cabeleireiro ou uma farmácia para comprar algo para frear a queda de cabelo", diz o médico. Essa não é a solução. Exames médicos encontrarão a verdadeira origem do problema.

O sinal de alerta não deve ser o número de cabelos que caem, mas se a densidade de cabelo que vemos no couro cabeludo. Verificar se eles têm diminuído e olhar áreas mais vazias na cabeça.

O paradoxo da calvície

Embora pareça impossível acreditar, Grimalt explica que os homens não se tornam calvos devido à queda de seus cabelos.

"Sua raiz doente deixa de trabalhar e provoca uma situação que os médicos chamam de miniaturização, ou seja, ela fabrica um cabelo cada vez mais fino e, no final, é tão fino que desaparece."

"As doenças que causam a calvície, na maioria dos casos, não estão associadas a um aumento do volume de substituições, mas devido a uma doença na raiz".

Assim, de acordo com o professor da Universidade Internacional da Catalunha, a mensagem vai na direção oposta:

"Se meus cabelos se substituem, estou saudável. Se eles caem é um bom sinal: o novo cabelo novo que está debaixo está nascendo para que caia o velho".

Fatores

Vários fatores explicam a queda de cabelo, como o processo de envelhecimento, genética, a perda e o ganho constante de peso e desequilíbrios hormonais.

Em muitos casos, você pode tentar uma solução temporária. Mas, de acordo com a publicação Harvard Health, revista da Escola de Medicina da Universidade de Harvard, a perda de cabelo ocorre por diferentes razões:

Eflúvio telógeno agudo:

"Esta forma comum de perda de cabelo acontece dois ou três meses depois de uma situação em que o corpo passa por estresse intenso, como uma doença prolongada, uma grande cirurgia ou uma grave infecção. Isso também acontece depois de uma súbita mudança nos níveis hormonais, especialmente após o parto. Quantidades moderadas de queda do cabelo caem de toda a extensão do couro cabeludo e pode ser evidenciada no travesseiro, no chuveiro ou pente ".

Efeitos colaterais por consumo de drogas:

"A perda de cabelo pode ser um efeito colateral de certos medicamentos que contenham lítio, betabloqueadores, varfarina, heparina, anfetaminas e levodopa", assim como também por causa das drogas usadas em tratamentos contra o câncer, como a quimioterapia.

Calvície hereditária:

É muito comum entre os homens e pode ocorrer em qualquer momento de suas vidas, mesmo durante a adolescência. "É geralmente causada pela interação de três fatores: tendência hereditária para a calvície, hormônios masculinos e aumento da idade." As mulheres não estão isentas. Com a idade, muitas delas podem desenvolver algum grau de calvície.

Sintoma de uma doença:

A perda de cabelo pode responder a doenças como o lúpus, a sífilis ou uma doença da tireóide, como hipotireoidismo ou hipertireoidismo. Ela também pode ser um sintoma de falta de proteína, ferro, zinco ou biotina.

Infecção por fungos:

"Esta forma de perda de cabelo acontece quando certos tipos de fungos infectam o couro cabeludo." Isto faz com que o cabelo quebre na superfície do couro cabeludo e que se desprenda em escamas.

Alopecia areata:

"Esta é uma doença auto-imune que faz com que o cabelo caia em uma ou mais pequenas áreas. A causa desta condição é desconhecida, embora seja mais comum em pessoas que sofrem doenças auto-imunes. Quando o mesmo processo provoca perda total dos cabelos, ele é conhecido como alopecia total ".

Alopecia traumática:

Está associada a técnicas agressivas de cabeleireiros, nas quais o couro cabeludo é submetido a puxões, calor extremo ou produtos químicos fortes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos