Japão perde 1 milhão de habitantes em cinco anos

Com baixa taxa de natalidade e rápido envelhecimento, população registra queda de 0,7%, a primeira desde 1920. Governo tem como prioridade manter o número de habitantes acima de 100 milhões.

O último censo populacional do Japão confirmou que a população do país está encolhendo, tendo perdido quase 1 milhão de habitantes em apenas cinco anos, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (26/02).

O total de habitantes passou de 128,1 milhão em 2010 para 127,1 milhão em 2015, uma queda de 0,7% ou de 947 mil habitantes. O declínio foi o primeiro registrado desde o primeiro censo realizado no país, em 1920.

"O declínio natural da população do país [resultado da diferença entre número de nascimentos e de mortes] é de cerca de 200.000 por ano. O número de residentes não japoneses aumentou, mas o declínio natural da população superou esse aumento", disse um funcionário do Ministério do Interior.

Na capital, Tóquio, o número de habitantes subiu 2,7%, para 13,5 milhões, o que representa 10,6% da população do país.

O Japão enfrenta o declínio demográfico após décadas de rápido envelhecimento populacional e queda da taxa de natalidade. A estimativa é de que cidadãos com 65 anos de idade ou mais constituam 40% da população japonesa até 2060, segundo o Instituto Nacional de Pesquisa Populacional e de Segurança Social.

Para garantir a força de trabalho necessária à expansão econômica do país, o governo delineou medidas urgentes. O primeiro-ministro Shinzo Abe estabeleceu como prioridade evitar um declínio da população para menos de 100 milhões de habitantes.

No entanto, especialistas em demografia afirmam que isso seria impossível mesmo que a taxa de natalidade suba para a meta de 1,8 filho por mulher estabelecida por Abe. A taxa atual é de 1,4 filho por mulher.

Sem um aumento significativo no número de nascimentos ou um afrouxamento da resistência japonesa à imigração, a previsão é de que a população do país caia para 108 milhões até 2050 e para 87 milhões até 2060.

LPF/ap/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos