PUBLICIDADE
Topo

Polícia prende mais de 200 após atentado no Paquistão

29/03/2016 14h14

Forças de segurança anunciam detenção de 216 pessoas para averiguação, em conexão com o ataque suicida do domingo de Páscoa num parque público.

As forças de segurança do Paquistão anunciaram nesta terça-feira (29/03) terem detido mais de 200 pessoas em conexão com o ataque suicida realizado neste domingo num parque público em Lahore, capital da província de Punjab, no leste do país. O atentado matou pelo menos 73 pessoas e deixou cerca de 340 feridos.

O atentado no parque Gulshan Iqbal, onde famílias comemoravam a Páscoa, foi o quinto ataque a bomba desde dezembro da organização Jamaat-ul-Ahrar, uma facção do Talibã. E reflete as tentativas do grupo de aumentar a sua importância entre os divididos extremistas islâmicos do Paquistão.

De acordo com o secretário da Justiça da província de Punjab, Rana Sanaullah, 216 pessoas foram "detidas para interrogatórios adicionais", enquanto o restante foi liberado. "Um total de mais de 5 mil pessoas foram procuradas e interrogadas", anunciou o governo local.

Sanaullah disse que as operações de busca foram executadas em cooperação entre polícia, agentes antiterrorismo e de inteligência e confirmou que o Exército e forças paramilitares atuarão em futuras ações do gênero.

O grupo talibã paquistanês Jamaat-ul-Ahrar assumiu o atentado e disse que o alvo foi a minoria cristã do Paquistão, país majoritariamente muçulmano. Os cristãos representam menos de 1,6% da população local.

No entanto, a maioria das vítimas era muçulmana. Segundo as autoridades de Lahore, entre 10 e 15 mortos eram cristãos.

MD/rtr/afp