Exportação de munição aumenta dez vezes na Alemanha

Enquanto venda de armas de pequeno porte cai no primeiro semestre de 2016, exportação de munições passa de 25 para 283,8 milhões de euros. Argélia é o maior comprador de armamento alemão.A exportação de munições produzidas na Alemanha aumentou dez vezes no primeiro semestre de 2016 em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo um relatório divulgado nesta terça-feira (25/10). O documento será debatido na quarta pelo governo. O relatório mostrou que houve uma queda de 12,4 milhões para 11, 6 milhões de euros na venda de armas de pequeno porte. No entanto, houve uma explosão na exportação de munições, passando de 25 milhões para 283,8 milhões de euros. Depois da França, o Iraque e a Polônia são os países que mais compram armas de pequeno porte da Alemanha, que incluem submetralhadoras e metralhadoras. Tiros que partem desse tipo de armamento são responsáveis pela maioria das mortes no conflito na Síria, por exemplo. A Alemanha fornece ainda armas para milícias curdas peshmerga que combatem o "Estado Islâmico" (EI) em território iraquiano. O relatório revelou também que a exportação bélica para a Turquia aumentou consideravelmente no último ano. Em 2015, início da crise de refugiados, o país ocupava a 25ª posição na lista de compradores de armamentos alemães e pulou para a oitava posição em 2016. Peças de aeronaves, drones e equipamentos militares correspondem a dois terços destas vendas. A Coreia do Sul também passou a importar mais armas alemãs, com o aumento das tensões com a Coreia do Norte. O país saltou da décima para a quarta posição na lista. Os Emirados Árabes Unidos praticamente dobraram o volume de compra de equipamento bélico alemão, passado de 46 milhões de euros para 85 milhões de euros. A Argélia foi o maior comprador de armas alemãs no primeiro semestre de 2016, adquirindo um volume de 1,04 bilhão de euros. Estados Unidos e Arábia Saudita ficaram em segundo e terceiro lugar respectivamente. No início de julho, foi divulgado que nos primeiros seis meses de 2016 o governo alemão autorizou a exportação de 4 bilhões de euros em armas, quase 500 milhões a mais do que no mesmo período do ano anterior. O vice-chanceler alemão e ministro da Economia, Sigmar Gabriel, prometeu reduzir a exportação de armas de pequeno porte durante sua gestão. Porém, a venda de equipamento bélico praticamente dobrou entre 2014 e 2015, passando de 3,97 bilhões para 7,86 bilhões de euros. Gabriel atribui o aumento a acordos firmados pela legislatura anterior. CN/dpa/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos