Greve na Eurowings e Germanwings cancela 400 voos

Cerca de 40 mil passageiros são afetados pela paralisação de tripulantes das subsidiárias da Lufthansa. Após fracasso em negociação, sindicato alemão diz que convocará nova greve para dois dias da semana que vem.A greve que atinge as companhias aéreas Eurowings e Germanwings, subsidiárias da alemã Lufthansa, levou ao cancelamento de aproximadamente 400 voos nesta quinta-feira (27/10), segundo informou um porta-voz das empresas. Cerca de 40 mil passageiros foram afetados. De acordo com o sindicato alemão de comissários de bordo Ufo, a paralisação deve se repetir por dois dias na semana que vem. A greve de 24 horas, que envolve aeromoças e comissários de bordo das duas companhias, teve início à meia-noite desta quinta-feira e se estenderá até o último minuto do dia. Foram afetados os aeroportos alemães de Düsseldorf, Colônia-Bonn, Dortmund, Hannover, Stuttgart, Berlim e Hamburgo. Grandes terminais do país, como os de Frankfurt e Munique, foram poupados da paralisação. Do total de 550 voos operados diariamente pela Eurowings e Germanwings, cerca de 150 deles foram mantidos no cronograma, incluindo viagens de longa duração, como para os Estados Unidos. As empresas estão oferecendo aos passageiros a alteração ou cancelamento da reserva sem nenhum custo. Em alguns casos urgentes, os viajantes foram encaixados em voos de outras companhias aéreas. A greve havia sido convocada no dia anterior pelo sindicato alemão de comissários de bordo Ufo, após fracasso em negociações trabalhistas com as empresas. "Lamentamos que essa convocação seja necessária. Mas as negociações chegaram a um ponto em que não há alternativa à greve", afirmou Nicoley Baublies, presidente do sindicato, em comunicado divulgado na quarta-feira. A Lufthansa rechaçou a decisão. "Convocar uma greve por um desacordo sobre contratos temporários é incompreensível e um absurdo", disse o porta-voz Martin Leutke, em nota. A disputa trabalhista entre a Eurowings e o Ufo já se prolonga há mais de dois anos e inclui questões salariais e garantias de emprego. Na Germanwings, abrange os termos dos contratos de funcionários de meio período. Nesta quinta-feira, o sindicato declarou que planeja convocar mais dois dias de paralisação para a semana que vem – sem especificar os dias –, indicando que as negociações continuam travadas. "As empresas estão pondo mais lenha na fogueira", disse Baublies, presidente do Ufo, à agência de notícias DPA. "As datas exatas [da greve] serão anunciadas em breve." No ano passado, a Lufthansa e aeroportos alemães foram duramente afetados por diversas paralisações, que custaram à empresa cerca de 140 milhões de euros. Na conta não está incluída uma série de paralisações de pilotos, cuja disputa continua sem solução. EK/dw/dpa/afp/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos