Tunísia prende três suspeitos de conexão com atentado de Berlim

Foram detidos um sobrinho do suposto autor do ataque contra uma feira de Natal na capital alemã e mais outros dois "jihadistas", que também estariam "ligados" a Anis Amri, segundo governo do país africano.A polícia da Tunísia prendeu um sobrinho do suspeito de atacar uma feira de Natal em Berlim e mais outros dois supostos jihadistas que estariam "ligados" a Anis Amri, afirmou o ministério do Interior tunisiano neste sábado (24/12). Segundo comunicado, os três suspeitos eram membros de uma "célula terrorista" que seria "ligada ao terrorista Anis Amri, que realizou o ataque terrorista em Berlim". Eles foram presos na sexta-feira. O tunisiano Anis Amri, principal suspeito pelo atentado a uma feira de Natal em Berlim, foi morto na sexta-feira durante um tiroteio com policiais na cidade de Sesto San Giovanni, nos arredores de Milão, na Itália. Impressões digitais confirmaram a identidade de Amri "sem sombra de dúvida", afirmou o ministro italiano do Interior, Marco Minniti, em entrevista à imprensa em Roma. O tunisiano era o homem mais procurado da Europa, e sua morte encerrou uma busca que já entrava no quarto dia. O grupo terrorista "Estado Islâmico", que havia reivindicado a autoria do atentado, divulgou pouco depois um vídeo de cerca de três minutos, no qual Amri jura lealdade ao líder do grupo, Abu Bakr al-Bagdadi. No vídeo, Amri não faz referência ao atentado em Berlim. O ataque à feira de Natal do bairro Charlottenburg, na noite desta segunda-feira, deixou 12 pessoas mortas e mais de 50 feridos. Um caminhão avançou sobre as barracas da feira. Amri é o principal suspeito de ser o condutor do caminhão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos